7

Fogo!

(Aha! Arranjei uma nova técnica para acentuação, etc. Copiei o texto no gmail e coloquei para corrigir, mas ele não reconhece todas as palavras... bom, pelo menos os cedilhas e alguns "tils" já melhoram a carinha do texto)

Vivi 24 anos no Brasil e nunca ouvi um alarme de incêndio. Carro de bombeiro então, só quando eu fui visitar o corpo de bombeiros com a escola lá pela 2a série do primário (hoje ensino fundamental...credo, quando as coisas começam a mudar de nome eh sinal que a idade vem chegando)

Pois bem, estando aqui em Montreal há apenas 1 ano e meio já passei por 3 alarmes de incêndio. Me parece que a situação aqui eh meio incineraria mesmo, já que a maioria das construções eh de madeira, pra reter o calor. Por sugestão de um amigo guardamos os documentos e coisas importantes em uma caixa "a prova de fogo" no caso de voltar pra casa e não ter mais casa. Ironias de primeiro mundo (primeiro mundo eh outro conceito que mudou, não? bom, deixa assim que todo mundo entende), vc tem uma caixa prova de fogo, mas dificilmente precisa de uma a prova de roubo. Ou então, deve ser porque as casas e apartamentos tem detector de fumaça, que por sua vez dispara um alarme de incêndio por qualquer fumacinha (vindo de uma frigideira ou qualquer coisa esquecida no forno, o que acontece frequentemente aqui em casa, já até tirei a bateria do me detector).

O primeiro alarme de incêndio foi pra mim realmente...digamos...alarmante. Estava na faculdade, no meio de uma prova de estatística quando o alarme soou. Verifiquei se não era a fumaça saindo da minha cabeça que tinha causado o tal disparo, não era. A professora, revoltadissima foi logo avisando: as provas serão recolhidas e canceladas, venham preparados na próxima aula para fazer outra prova - droga, e eu crente que poderia "conferir" algumas questoes no livro. Pega casaco, cachecol, gorro, luva, mochila e sai aquela boiada. Eu era aparentemente a única apavorada, fingi calma, pra não dar bandeira da minha inexperiência incendiaria. A cada andar alguém com coletinho da brigada de incêndio orientava: sem pânico, continuem descendo, estando no 11 andar não parecia a melhor ideia do mundo, mas como não havia opção... Chegando lá embaixo, aquele frio de sei lá quantos abaixo de zero, procura fumaça aqui, procura ali e nada - era soh treinamento. Fala sério! Bem que eu tinha achado estranho a galera com o cronometro na mão, mas achei um abuso! Se pelo menos eu estivesse na biblioteca que fica no 3 andar...

No segundo alarme eu já estava no prédio que moro hoje, a Vila Olimpica, que hospedou atletas e delegações nas Olimpiadas de 1976. Pela conveniência do predio (tem supermercado, farmácia, banco, cabeleireiro, biblioteca e tudo mais que vc imaginar dentro do prédio) hoje habitam aqui basicamente velhinhos, facil entender porque o nosso bebezinho faz tanto sucesso por aqui, ele não eh um bebe, mas O bebe, quem nunca viu, já ouviu falar. Mas enfim, estava eu sozinha com o tal bebe (que dormia) quando o alarme disparou. Já estava vacinada, logo lembrei do treinamento, mas quando sai na sacada, em menos de 2 minutos, la vinham eles, os moços do calendário em seus carrinhos vermelhos, e todas as pessoas dos andares comerciais já fora do prédio - pânico. Me deparei com uma questão quase existencial (ou pelo menos dessas de testes de auto-ajuda): se pudesse salvar só X coisas de um incêndio, o que salvaria? (se pelo menos fosse a da ilha deserta...pra essa eu já tinha resposta pronta). De um item eu já tinha certeza, era o bebe, o que só me deixava com uma mão extra. Pensei no carrinho - não pode, elevadores bloqueados. Acorda o bebe, coloca no canguru, bendito canguru, pelo menos tenho duas mãos, ainda bem que eu escolhi o apartamento do 4 e não do 20 andar. Bebe pronto pra partida, e agora o que pegar? O lep top com o protocolo da tese e todas as fotos, definitivamente, e...fotos, o álbum do casamento, lua de mel? Qual será o mais importante?? A caixa dos documentos - a não, essa eu posso deixar, eh a prova de fogo, mas e se não for? Nunca testei, e eu que não sou louca de queimar meu passaporte e ter que ir naquele consulado tentar tirar outro - mas a caixa eh pesada, abre a caixa, pega só os documentos, enfia na mochila junto com o lep top e o álbum do casamento - melhor deixar as mãos livres, vai que algum velhinho precisa de ajuda (em um momento solidário) - danem-se os velhinhos, vou mesmo eh pegar os outros álbuns, pq de tudo, as fotos são as únicas que não tem como conseguir outras, os velhinhos vão conseguir se salvar (agora que eu nao morri, talvez deveria trabalhar essa questao um pouco egoista). Tudo pronto pra correr, tchau moveis, tchau souvenirs de viagens, tchau roupas queridas, tchau porco rosa (difícil de explicar, mas eu tenho um porco rosa gigante na sala...), no auge da minha despedida de todos os objetos da minha vida, escuto uma voz vinda do interfone na sala: os bombeiros localizaram a razão do alarme - um defeito em uma das chaves do sistema. O pior eh ficar com raiva porque sua casa NÃO pegou fogo.

A terceira vez foi hoje (motivo do post - agora tudo faz sentido). Lá pelas 6 da madrugada (sim, porque pra quem dorme as 3, 6 eh o ápice da madrugada), tudo escuro, dispara o alarme. O marido que não tinha passado por nenhum ainda, levanta assustado, a mãe no quarto ao lado idem, o bebe chora, já eu...nem me dei ao trabalho de abrir o olho. Dessa vez era incêndio mesmo - que nada (mas que ia ser um bom fim, isso ia ) - alguém tinha esquecido o pão na tostadeira ou algo do tipo que eu nem escutei direito pois já estava dormindo de novo, sonhando com os bombeiros.

7 comentários:

Marco Aurelio Brasil disse...

Keikucha, por conta do rush eu fazia tempo que não vinha aqui e não tinha visto seu novo e maneiro template. Congratulations. Congratulations também pelo título do post anterior e porque você pode confessar que sonha com bombeiros mesmo sabendo que seu marido pode vir a saber. Preciso fazer a Tatiana conhecer isto aqui.

Besos.

Keiko disse...

Marquito: Se vc faz questao eu posso levar um calendario pra sua dignissima. Bom,o Johnny ateh le de vez em quando, mas em minha defesa, foi soh figura de linguagem...

Flávia disse...

Keiko,

Eu já passei por tantos alarmes de incêndio que só ligo a TV no canal que mostra a portaria do prédio e fico observando a movimentação. Morava no décimo nono andar e desci somente uma vez as escadarias, mas agora moro no terceiro, não deveria ter preguiça. Qualquer dia desses morro queimada.

No hospital só sigo o protocolo de fechar as portas porque é regra, já que o alarme só dispara por 2 motivos: torrada queimada e pipoca queimada no microondas, o que acontece no mínimo 2 vezes por semana.

Se seu apt pegar fogo e eles descobrirem que você retirou as baterias do alarme, o seguro não cobre NADA, viu ?

Beijinhos.

Anônimo disse...

caramba!!! chato isso... eu já sei que vou ficar apavorada sempre, pois morava ao lado do Palace (aquele predio que desabou no Rio feito pelo Sergio Naya). Meu apartamento lá é exatamente ao lado desse prédio. Eu levei o maior susto e fiquei traumatizada. Bem, mas qual é a sua formação? Fazendo prova de estatística? Fiquei curiosa...
;-)
Sandra Vicente

Marcia disse...

Olha nao reclama nao. La no trabalho a gente faz o tal do exercicio de preparacao no caso de um incendio de verdade. Ja fiz uns trocentos. Eis que voce esta trabalhando tranquilamente e toca aquele sinal agudo e no interfone mandam a gente descer com calma. Eu que estou no 14 andar, soh com muita calma mesmo. Eh nesse ponto que a socializacao comeca, aquela reclamadinha, o comentario de como esta abafado na escada e ai vai.

Keiko disse...

Flavia: Pra nao correr esse risco, eu nem tenho seguro. De qualquer forma jah coloquei a bateria de volta, vai saber...

Sandra: Essa eh a grande questao, eu sou Terapeuta Ocupacional, nao eh nem certo nem logico estudar estatistica, mas estou na area de pesquisa , entao jah viu...fico lah torrando meus neuronios com aqueles numeros ingratos.

Marcia: Veja pelo lado positivo,sendo obrigada a descer 14 andares, a cada exercicio de incendio, vc pode comer um cheescake!

Lilian disse...

Ainda bem q você recolocou a bateria, eu já ia "mandar" fazer isso -- e não é por causa de seguro, é pela segurança de vocês e do seu bebê. É mesmo um saco ver o troço disparar quando queima a torrada, e eu inclusive já abanei muito pano de prato tentando fazer ventinho praquilo calar a boca, mas é importantíssimo esse alarme. Nas casas mais novas (a nossa tem 4 anos), tem em TODO canto da casa, todos os quartos, corredores, ambientes, etc... Bom, deixa eu parar.

Sabe que nunca tive que passar por "drill" incêndio ou sair de prédio por causa de alarme? O Klebert sim, e bem quando ele tinha um experimento com gases em baixa temperatura (criogenia) que iria explodir se deixado sozinho por long tempo. Ele teve que ir lá 3 da manhã pra parar o experimento, depois que liberaram o prédio.

Por outro lado, no condomínio que morávamos no Massachusetts, quando o Kelvin tinha exatos 5 meses como seu Zack, pegou fogo numa casa e destruiu 12 completamente (eram 74 casa geminadas). Foi bem traumatizante. Com fogo não se brinca ;)