8

Carta para o Papai Noel

Sábado a noite, todos com preguiça e vontade absurda de ficar em casa e fazer nada. Em um surto natalino, Noelack pede para montar a árvore de natal. Mamãe que adora coisas de natal e seus derivados não perde tempo e dá-lhe caçar enfeites, luzinhas, alegria, alegria. Exausta pela intensa atividade física que é montar uma árvore de Natal, Preguiceiko anuncia que vamos comer pizza. Crianças ficam felizes com pizza, supõe-se. Nutricionack no entanto fala:
- Ah não mamãe, eu quelo arroz e feijão.
Mas como a Mamãe é a rainha (ditadora?) do lar, a pizza é feita (e por feita obviamente leia: descongelada + milho + espinafre - pra dar o efeito nutritivo e umas colheres de cream cheese - pra dar aquele efeito catupiry).

Mais tarde, entre guirlandas cheias de nó, homens de neve e enfeites de mãozinhas minúsculas no gesso de um nenezinho que virou moço, Papito pergunta:
- Então Zack, o que você vai pedir pro Papai Noel?
E Resoluzack sem titubear anuncia:
- Arroz e feijão. And candy.

É bom saber que mesmo se sua mãe não te ouve, sempre pode-se contar com o bom velhinho.

PS - Uma amiga grávida entrou outro dia em pânico porque descobriu-se falando horas a fio exclusivamente sobre bebês, como se nada mais na vida fosse importante. Eu tenho horror a conversas com outras mães que só giram em torno de bebês, acho chato mesmo quem só sabe falar sobre isso, como se a vida tivesse parado. Mas pensando bem...eu só escrevo sobre isso! E bom, cá pra nós, a gente continua se arrumando, trabalhando, fazendo ginástica (cof, cof) e tentando ser bem-sucedida na vida, mas quem quer saber sobre pesquisa, trabalho, trânsito, moda e outras coisas ainda menos importantes como política, economia, atualidades, mundo. Aliás, que mundo?
A conclusão que cheguei é que sim, há vida após a maternidade, na verdade depois que acaba a licença tudo volta ao normal incrivelmente rápido, alías, tudo sempre esteve lá. O que acontece é que essa vida se torna menos importante e bem menos interessante do que um sorriso de um dente só, frases engraçadinhas e abraços coletivos. Mais do que isso, as coisas do universo mãe passam tão rápido, enquanto a vida e suas outras coisas bem sérias continuam por lá. Então, é como eu disse pra minha amiga: Fica fria, daqui uns 18 anos passa... talvez 30...bom, não sei qual é o ponto onde seus filhos não são mais o centro do seu mundo, não quero nem pensar, porque este mundo é inexplicavelmente delicioso.

Assinado:
Keiko, a alien.

8 comentários:

Thiago disse...

Para mim ainda tá tudo ótimo!
E eu tenho um feeling que esse moleque vai marcar as linhas da história. Tou falando sério! Num é a toa que ele é tão meu amigo :)
Bjs!

cecisantiago disse...

Oi Keiko, misturei risadas e quase lágrimas de emoção ao ler esse post. Esse inexplicável mundo da meternidade é muito facinante (as vezes até assustador)!!!POrém uma delícia de viver! Saudade, beijos, Ciça
P.S: de marte..câmbio..rsrs

Inêssa disse...

A gente até s esforça, mas aí perguntam como vai o rebento, mistura uma história na outra. E fica tudo tão mais colorido...

Letícia Volponi disse...

ah, tadinho... e se o bom velhinho não souber cozinhar?

PoshDrosofila disse...

Ola Keiko, aqui é a Karina, aquela
que te encontrou no consulado meses atras, lembra?
So pra dizer que adorei este post, e o Zack é uma figura!
Tambem queria te dizer que tenho um presentinho pra vc, uma caixa de catupity!
me diz como faço pra te encontrar pra te deixar a caixa, e assim quem sabe o Zack vai gostar mais de pizza né?
abraço
k

Eduardo Ebling disse...

hahaha...pq demorei tanto pra achar o seu blog?rsrsrs.. to adorando as histórias antigas e as novas dessa sua versão mãe que eu só ouvia falar!!
saudades enormes de vc! seu email ainda é o mesmo??
beijo grande!!

Eva disse...

E eu assino mais embaixo:
Eva, do planeta D.

Lúcia Soares disse...

Keiko, filhos são sempre o centro do nosso mundo...Pergunta pra sua mãe! Bj