6

Uma Semana Depois ou...Isso sim é que é vida.

Voltamos. Estou praticamente me sentindo um peru de natal fracassado. Do freezer pro forno e de volta pro freezer.

Não pude mandar notícias diretamente do Brasil, o tempo foi escasso. Aliás, o tempo foi atemporal. Só coloquei relógio no dia de voltar, fora isso foi só relógio de sol e o relógio de Princhuquinho. Não tem sombra pra ficar brincando de sombras na areia? É meio-dia. Relojack começa a coçar a orelha de sono? Deve ser uma e meia. Computador?? E quem quer ficar em uma salinha com ar condicionado por 5 minutos que seja quando o sol está rachando lá fora, meus caros? Frio eu passo por aqui mesmo, na terra do sol eu não pude perder um minuto dele.

Desta vez fomos à terrinha ver o Brasil "pra gringo ver". Costa do Sauípe, Bahia. Pagando R$4,00 a garrafinha de água de 230ml, não recomendo, a não ser que você seja gringo e também ache normal comprar Havainas por R$75,00. Ou então, que seja espertinho e ache um bebedouro super escondido acidentalmente atrás de uma porta escrito algo que você não entende, como: "acesso restrito", onde você possa encher suas garrafinhas diarimente, mesmo que isso demande um certo malabarismo e uma operação militar, envolvendo usar o filho como desculpa e tudo mais (afinal de contas, por R$4,00 certamente a gente tinha direito a refil). Ou então encha as mesmas com a água servida no café da manhã, enquanto você levanta pra pedir sua terceria tapioca com leite condensado e coco fresco e aproveite pegue umas frutas e uns iogurtes pra comer mais tarde, se não quiser deixar as calças pra pagar o almoço. Pobre é fogo.

Mesmo sendo tão curta a viagem foi completa. Conseguimos um voo com escala em Washington pra ver irmãozinho e Mamãe. Em Sampa dois dias, rever os amigos e jogar tanta conversa boa pro ar, enquanto comendo as delícias paulistanas favoritas foi mesmo uma alegria única. Ter amiga que pega o filho e leva pra casa enquanto você vai depilar, depois leva pra um aniversário e só traz o menino feliz e cansado a noite, é privilégio raro. Ter tantos amigos queridos que topam comer tudo que você quiser e ainda andar no shopping atrás de outras"iguarias nativas" (leia roupas e sapatos) é coisa pra férias nenhuma botar defeito.

Mas o ápice da viagem foi mesmo Meu ReiZack mostrando que a nacionalidade canadense não foi capaz de vencer o sangue baiano que corre nas veias, no maior estilo Darth Vader contra Yoda, o lado escuro da força não venceu. Branquelack exibiu com orgulho sua tez translúcida, descobrindo que baldinho, forminhas e rastelinho foram feitos pra areia, não pra neve como em vão tentaram enganar por aqui. Bebeu tantas águas de coco quando pode ("mais cuco mamãe!" - Dizia ele quando uma acabava), cencheu o buxo de goiaba vermelha, tapioca e até acarajé. Se maravilhou com tantos "passainhos", "tatauga" e até um "bicho gandão!" - uma iguana bizarra que deu as caras por lá. Nada como a fauna tropical pra variar o cardápio dos manjados "equio" (esquilos) que tanto vemos por aqui. Encantado com a alta taxa de gringos por metro quadrado, Relaçãoes Publicack mostrou que não se contenta com Português, Inglês e Francês e ensaiou um pouco de Espanhol e Holandês com a gringaiada, além de sair dando "ois" e "his" pra todo mundo.

A cena do último dia foi pra fim de novela mexicana nenhuma botar defeito. Um menino que até pegou uma corzinha, chora ao ser tirado da piscina gritando: " Eu quelo água!" (porque bastou uma imersão de Português e o menino deu pra falar sentenças. Todas começando em "eu quelo", mas tá valendo) enquanto o pai, geneticamente programado a ter câncer de pele e portanto o único na sombra, com protetor FPS 100 e chapéu de palha, tenta arrastar a mãe que, em estado de carbonização, se agarra à espriguiçadeira como quem se agarra à propria vida e com lágrimas nos nos olhos decide que não quer mais voltar pro Canadá e vai mesmo abrir sua barraquinha de coco na beira daquela praia mesmo, ou propor sociedade ao tiozinho que vende chapéu de palha.

Depois desta temporada entendo menos os passarinhos voltando pra cá nessa época do ano...não compensa, meus caros pássaros, fiquem por lá. De volta para o meu aconchego. Que aconchego que nada, aconchego é cama arrumada e toalha nova todo dia, 20 frutas pra escolher no café da manhã, água-de-coco, picolé de limão, amigos de infância e depilação completa por R$40,00.

Na mala trouxemos chinelo com areia, envelope com conchinhas, umas 10 caixas do novo suco "Ades Verão Mix", um tanto de saudade e um coração que se pergunta mais e mais: que raios eu estou fazendo aqui?? Não parece uma decisão lúcida trocar aula de axé na piscina por aula de metodologia científica e estatística, mas nem só de "paz, futebol, carnaval- que não mata, não engorda e não faz mal" (a profunda letra de um dos 5 axés que tocavam o dia inteiro na beira da piscina - profunda mesmo comparada à da "Cachaça! Cachaça") é feita a vida...

Aguardem fotos, como sempre, ainda não achei o cabo da câmera.

6 comentários:

Lilian disse...

Ai que coisa. Se inveja matasse eu já tava mortinha e enterrada agora...

Mas tudo bem, é pra quem pode, não pra quem quer. :-)

Mas de qqer jeito, que beleza... Manda dizer aí se o pobrezinho do Zack não está com "post traumatic stress disorder" de voltar pro frio :-).

Bom, agora sinceramente, eu não queria morar no Canadá não. Aqui nos EUA já é frio o suficiente, mas aí? Em 1997 eu fui no nosso Spring break (daqui 2 semanas) aí pra Montreal e tinha 1 metro e MEIO de neve no chão. Sai pra lá!

Hoje em dia tou dando graças q aqui na Pennsylvania já é muito mais quente do que no Massachusetts. Este inverno demos sorte e não caiu quase NENHUMA neve!

Bom, boa sorte aí... e manda ver as fotos, hein?

***TATTY* disse...

Ai...Como vc sofreu esses dias aqui...realmente água de coco e sol...que combinação...kkk
Ai meu Deus...nós e nosso escambo...Quer dizer então q seu irmão perdeu mesmo...Nem adianta tentar falar com ele então?
Vou tentar falar com a Tati essa semana pq vou viajar (tá pensando oq? Tô de férias) Claro que nada tão glamuroso...mas pra programa de índio já que vou pra casa dos meus avós, mas acho que container deve ser uma boa opção...kkk...
Qq coisa te aviso...
BJUS

Scliar disse...

Quer dizer que saiu da terrinha e caiu aqui em Montreal, com estes 25 centimetros de neve programados para hoje? Mas nao entrou no horario de verão? Alguém quer me ir fazendo o favor de explicar o que que ta aconecendo??? Bem vinda e volta ao frio!

Fases de MoonLight disse...

Hehehe... tava navegando na internet e adorei esse post... mas deve ser brabo mesmo sair de um país com sol prá encarar neve, não consigo nem imaginar.

Bom, se tu não te importar vou voltar aqui mais vezes prá aproveitar o teu jeito espirituoso de escrever.

Um abraço

Flávia disse...

Keiko,

Você é minha alma gêmea. Praia é bom, praia com calor é ótimo, mas praia com calor e mordomia é o Céu. Eu tenho certeza que o Inferno é congelado !

Beijinhos invejosos do calor em Sauípe, mas não da volta a Montreal.

Gislane, Wagner e Mirela disse...

Tô triste...saber que minha pequena Mirela vai esquecer como é bom praia, areia, água de coco e tudo mais. ( E como ela gosta de uma "paia")
Bom, o jeito é curtir muiiiito e registrar tudo enquanto ainda estamos aqui.
bjos