5

De frente pro crime

Gente do céu, semana passada aconteceu uma das coisas mais estranhas de todas as coisas estranhas que já aconteceram na minha vida. Bom, na verdade não aconteceu comigo diretamente, mas foi muito perto. Foi tão traumático que tive que esperar uma semana pra falar sobre o assunto.

Longe de mim bancar Gil Gomes, "Aqui, Agora", se for pra tirar sapato aqui, não vai ser o sapato branco, mas essa história me deixou meio tonta. Basicamente, cheguei em casa e Princhuco estava falando com o pessoal no escritório dele em Sampa, o que ele faz todo dia, várias vezes por dia. Desta vez, no entanto, a conversa era: " Chama a polícia, agora, liga pra emergência!". Pensei comigo: Pronto, mais um assalto - nada novo, ponderei - vira pro lado e vai fazer janta. Mas não, dessa vez a história foi essa:
O pessoal estava lá, feliz e tranquilo no fim de tarde, trabalhando no escritório que fica no primeiro andar de um edifício comercial, e tem um "jardim de inverno", uma área aberta para a qual todas as janelas do prédio se abrem. De repente, escutam um barulhão, olham pro tal jardim e constatam: "Tá lá o corpo estendido no chão". Não veio camelô vender nada, muito pelo contrário, o pessoal ficou totalmente paralisado e a primeira medida foi ligar pro patrão aqui no Canadá, pois bem se sabe, só o chefe está apto a tomar decisões importantes como chamar a emergência dado uma pessoa agonizante no jardim de inverno. A história não melhora daqui pra frente. A emergência aparentemente veio logo, constatou a morte do cidadão e o deixou lá, até muitas, muitas horas depois, quando chegou a polícia e o IML, que, em uma demonstração clara de sensibilidade e respeito humano, arrastou o corpo pra fora deixando um rastro no escritório, objetos pessoais do homem, pedaços de um corpo, mas também de uma vida que acabou assim... Avisaram que descobriram familiares do homem, que trabalhava no décimo andar do prédio e que ao que tudo indicava, tinha sido suicídio.

Eu, no entanto, fiquei sem dormir umas boas horas (e acreditem, nada no mundo me tira o sono normalmente), só pensando no moço e o que o fez a vida dele ficar tão triste assim a ponto de ter coragem de se jogar de uma janela. Como foi que ninguém viu, interferiu? Será que um sorriso, uma escuta teriam feito a diferença? Que mundo é esse minha gente? Será que a indiferença foi o grande crime?

"...E um silêncio servindo de Amém,
sem pressa foi cada um pro seu lado,
pensando numa mulher ou num time..."
olharam o rastro no chão e fecharam a janela do escritório do meu marido de frente pro crime. *

Triste, muito triste.

*Citações e paráfrases de: "De Frente pro Crime", de Jõao Bosco (Favorita na voz do Chico).

5 comentários:

Bibi Move disse...

ai que triste.
essas coisas deixam a gente mesmo tonto e sem saber o que pensar.
Uma vez eu vi a cena assim, do atiramento e estatelamento em um prédio no centro de floripa. e a pessoa estava aguardando na sala de espera do psiquiatra, e dali mesmo jogou-se pela janela.
ai, uma coisa muito triste.
Keiko, estou precisando falar contigo,
dá uma ligadinha aqui quando tiveres um brake.
bj
bibi

Flavinha disse...

É Keiko, eu te entendo, estas coisas mexem mesmo com a gente... Não o fato da morte em si, mas também fico imaginando como a pessoa chegou a este ponto, como a tristeza devia doer dentro dela... Ou seria desespero?... Mas será que ninguém percebeu? Será que fomos omissos ou egoístas? Incapazes de ajudar ou confortar?...
Muito triste! E me faz lembrar de olhar para cada colega de trabalho, para o chefe, para o motorista e trocador do ônibus, para o segurança do metrô, para cada familiar, querendo seu bem ou pelo menos não fazendo nada, que por menor que seja, faça ele se sentir pior!
A vida é muito boa! Vamos aproveitá-la!
Beijos

ju k disse...

muito muito triste. sempre rezo a Deus pedindo q mostre sua face de amor a aqueles q mais precisarem, principalmente aqueles q em vida não tiveram felicidade. o capitalismo desenfreado - onde a gente trabalha umas 14 horas por dia, só pra não ir preso nem parar (muito) no SPC e no Serasa- é muito cruel. A vida perde o sabor e o sentido. não pode ser esse o objetivo da vida, não tá certo. oxalá o mundo mude, oxalá saibamos ser braços e sorrisos para os outros. abçs.

camino disse...

Sempre que sei de uma história de suicídio também fico muito tocada e me pergunto, assim como você, o que fez aquela pessoa se desligar tão fortemente dos próprios instintos - que estão aí para lutarem bravamente pela nossa sobrevivência.

De que dor tão grande ele fugia?

Felizmente a misericórida divina é implacável e, certamente, vai acarinhar este coração intranqüilo.

Um abraço e bons sonhos,

Camila.

Deby disse...

Meu Deus!! As pessoas estão carentes do amor de Deus.
Dá uma tristeza mesmo. Aconteceu algo parecido com minha amiga. A vizinha se jogou em cima da lavanderia dela. Felizmente ela não faleceu, mas ainda está internada.
Que Deus nos permita ser instrumentos nas mãos dEle pra que vidas sejam abençoadas com nossos abraços, sorrisos ou palavras.
bjinhos