6

Do lado de baixo e meio ano depois

2 dias e 13 horas depois... cá estamos nós, onde já se sabe...não existe pecado, nem tão pouco ar condicionado... e se era pra fugir do frio, a missão está mais que bem sucedida, estamos em bicas.

A viagem foi um sucesso, salvo pequenos detalhes. Nunca se viu um avião com tantos bebezinhos dentro. Esperteiko aqui até achou que chegando bem cedo para o chek in teria uma chance de pegar um lugarzinho na primeira fila, de repente até um bercinho...doce ilusão. Bercinho não tinha nem pra remédio, já que nada mais nada menos que outros 6 bebês, disputavam o único bercinho disponível, que é claro, ficou pra mamães mais espertinhas que consideram antecedência 2 meses, e não 2 horas antes. Mamãe, vovó e Princhuquinho se contentaram com a última fila do avião só pra eles (injusto falar eles sendo que o único "ele" tem só 6 meses???) , com um banco só pra Sorrisack, que conquistou todos: a moça do check in, que acabou não cobrando a passagem dele, a mocinha da polícia federal em Montréal, que deixou a mamãe entrar com uma garrafa de água para a sede sem fim durante as mamadas, até a aeromoça no avião, que decidiu que ia ficar com ele. Houve luta, mas sem sangue, a mamãe convenceu-a que não ia dar certo.

A viagem foi tranquila, na medida que é possível não estar esgotada estando por 12 horas em uma poltrona que não reclina, com um nenê dormindo em cima, ao lado do banheiro...chegamos inteiros, e já fomos pra gandaia, antes de chegar em casa já tínhamos uns 5 compromissos marcados pro dia. Muitos "ai que coisa mais gostosa desse mundo, dá ele pra mim" depois, uma única e primeira crise de choro pra descarregar o estresse todo, dormimos em paz em um bercinho emprestado pelo simpático amigo Duduzinho, o menino-que-não-é-meu-mais gostoso-e-articulado-do-mundo, acolhidos pelos amigos com uma estrutura "baby friendly" da qual tanto precisávamos naquele momento (porque mesmo com toda a bagagem absurda, não sobrou espaço pra banheira, berço...essas amenidades)

Chegando na terra natal, muitas realizações resumidas: já experimentamos açaí (não aprovado) suco de cupuaçú (aprovadissimo), de laranja (indefinido), manga (paixão total), passeamos pela Av. Paulista (de carro, porque somos paulistanos, não loucos), conhecemos muitas caras novas, mas a preferida foi de longe a Canela, cachorrinha da melhor amiga, isso até ela latir, demorou um pouco pra sintonizar as ondas de comunicações caninas, isso ajustado, a relação fluiu como nunca, com direito a risadinhas, gritinhos, tudo devidamente registrado pela Camera-mom. Ah sim, e um clássico, tiramos foto com papai-noel no Shopping (esse programa de verão paulistano - tudo por um local com ar condicionado). Adaptack, ao contrário da mamãe quando pequena, não temeu o bom velhinho, encarou o barbudo e até outros passantes tiraram fotos do nenezinho de fralda (quem precisa da mala de roupas gigantes que a mamãe trouxe com um calor de 32 graus?), ele só ficou um pouco decepcionado porque não ganhou balinha...moço injusto esse tal de Noel...

E não pode ficar sem menção, meio ano de vida pra Velhack. Isso é o que eu chamo de um aniversário quente e cosmopolita... 6 meses de gala, comemorados no ardor do maravilhoso trânsito de São Paulo. Princhuquinho, canadense como ele só, está mesmo deslumbrado com tanto calor e tantas informações novas pra processar na sua caixola. A celebração foi com a família japonesa (que tem seu primeiro membro "aloirado", para surpresa geral) e bolo do Amor aos Pedaços (claro, quem desfrutou foi Mamãe Bolinha, que semana que vem vai rolar na praia)

E a pergunta do mês é: Como é possível um ser em 6 meses ocupar um espaço tão central na sua vida?

6 comentários:

deby disse...

Que bom q chegaram bem, apesar dos percalços...rsrs
Aqui tah mesmo calorzão, mas o pior é qdo chove.
Qdo vêm pra Bahia??
bjocas

Anônimo disse...

Que legal!
Ficam até quando?

;-)
Sandra

Deby disse...

Elevar o coração em adoração a Deus é celebrar o Natal em seu verdadeiro sentido.
Celebremos o nascimento de Jesus e Sua morada em nossos corações.
Desejo a você e sua família bençãos do nosso Deus neste Natal e no ano que se inicia.

Feliz Natal e um 2007 cheio de realizações, paz e alegria

beijos

Anônimo disse...

Ai que inveja... mas ano passado eu estava por aí, então tá OK...

Que gostoso ler as notícias do Princhukinho... o centro da vida da mamãe.

Dani,Luiz e Annie disse...

Oi Keiko,
que bom que está aqui.
Desejo a vcs um feliz natal e um 2007 de muitas realizações.
Se ainda estiver em SP, vamos chegar ai em janeiro, podemos nos encontrar.
Bjinhos,
Dani.

Flávia disse...

O difícil mesmo é saber o que havia antes neste espaço, agora tão deliciosamente ocupado. O que é que a gente fazia com tanto tempo disponível ?

Feliz estadia na terrinha !