16

Crise, crise!

Hoje recebi as listas das classes da escolinha (vulgo creche) para Setembro. Na lista da classe dos "3s", meu Nenezack e mais 17 crianças!! 17!!! Eu disse Dezessete!!!Totalizando 18 crianças para 3 professoras. Comecei a chorar (não contem pra ninguém que eu estava lendo o email no celular enquanto o sinal estava vermelho no trânsito - pense a cena...). Sério, momento de crise total. Tipo assim...como o meu Preciozack vai ser só um no meio de 18??? Hein, hein?

Daí continuei lendo as listas e lá estava minha Pequenina na lista dos bebês (com mais 7). Aí chorei mesmo. Eu sei, fui eu que a coloquei na lista mas sabe aquela momento de "realmente agora eu abandono tudo e vou só ficar soltando bolhas no parque o dia inteiro!".

Embora eu realmente confie no time de educadores da escolinha e saiba o quanto Zack se diverte e aprende lá, embora eu saiba que há benefícios e tudo, embora eu ache que "ficar em casa" não seja uma opção pra mim,embora eu tenha amigas que não "trabalham fora" e também passam pelo mesmo tipo de crise mas ao contrário, meu coração de mãe nunca vai estar 100% certo de que esta é a melhor decisão. Sem contar que eu realmente não estou pronta para só mais um mês de licença com minha bebezita gordita e bochechuda!E além do mais, Pesadelack acordou gritando ontem a noite dizendo que a dona aranha tinha passado na cama dele e embaixo da perna dele! - Acho que isso foi um sinal...

E vocês, mamães que trabalham "fora" ou "dentro", tem dessas crises também?

16 comentários:

Isabela disse...

Entao, sabe que eu não tenho essa crise. O baby fica na creche desde os 9 meses, e olha que eu já queria colocá-lo antes; com 6 meses e começar a procurar emprego. Não me considero uma mãe displicente por isso, mas eu realmente precisava trabalhar, tanto por razões financeiras como pela vontade mesmo de voltar ao mercado de trabalho.

Ele está super bem na escolinha. Hoje tem 14 meses.

Bjs

Isabela.

Paloma, a mãe disse...

Siceramente? Não tenho crise.
Trabalaho fora e minha filha de 2a4m fica na escola em tempo integral.
Tive babá até ela fazer 1 ano e meio, aí sim eu tinha crise. Depois que demiti a babá e a coloquei na escola (mini-crise momentânea), não tive mais nenhuma crise em relação a isso.

Thiago disse...

Pra mim tá ótimo!
As crianças são criadas para o mundo, dona Mamãe! (noooooossa... quanta experiência eu tenho para ficar falando né?)
bjs

Claudia disse...

Eu acho que emprego a gente acha um a qualquer tempo, basta procurar. Mas a infância dos filhos...É uma vez na vida deles e na nossa! Ser mãe é um trabalho nobre e digníssimo! Vi que valeu a pena quando um dia dia meu filho veio me perguntar se teve babá, e eu respondi que não. Ele respondeu com um ufa! aliviado! Sabe que quando eu passo na frente das escolinhas cedinho eu vejo as mamães deixando seus bebezinhos e não sei de quem tenho mais pena...Dureza!

Lúcia Soares disse...

Crise de consciência SEJA LÁ PELO QUE FOR toda Mãe tem! A vida é assim mesmo, e você faz bem em continur seus estudos, trabalhar. Filhos crescem, "amarram as calças" e vão embora. E adoram a Escolinha, você sabe. O importante é a qualidade do tempo que você passa com eles. Mãe "full time" é chata demais! Bj e fica em paz!

Sandra e Evaldo Vicente disse...

Com o Vini eu tirei de letra. Mas com a Lara a crise foi tanta que tirei dois anos sabaticos. Foi legal.

piscardeolhos disse...

Coloquei na ceche aos 5 meses, comecei a me organizar pra abrir meu próprio ngócio, me achando uma mulher super independente e dona de mim. Um luxo de mãe, com os cabelos esvoaçantes. Isso até ele começar a pegar uma virose por semana, tossindo horas a fio durante a noite e fazendo com que eu me sentisse um lixo, de cabelo oleoso e olheiras. Tirei da creche, suspendi o business, sentei e chorei. Muito.
Hoje estou - guess what?! - planejando abrir minha própria creche!
Temos que tocar o barco. Mas que deve ser dificil pra uma mãe deixar os bichinhos de manhã e buscar a noite, isso deve...
Beijo e boa sorte!

Flavinha disse...

Ainda não tenho filhos, mas admito que tenho crise só de pensar como vai ser! Hoje eu sofro pelos meus dois sobrinhos fofos, mas sei que a melhor opção para minha irmã e para os dois foi a de ir para escolinha integral... Eu queria arrumar um emprego de 6 ou 4 horas diárias para engravidar aliviada! Mas sei que vai ser difícil!
Beijocas

Lígia disse...

Acabei de passar uma super crise dessas...de avisar chefe e tudo que ficava só até agosto...Mas aí irmãzinha querida deu uma idéia de colocá-lo na mesma escola do sobri nho, e eu consegui mudar meus horários para entrar mais tarde e buscar na escola (sou fonoaudióloga e faço 30 hs semanais). Mudamos rotina em agosto. Até agora ele tinha ficado com a vovó...Sabe que eu vivia falando de parar de trabalhar prá ficar em casa, fazer bolo e assistir sessão da tarde. Depois do dia que falei que iria parar começou bater um medo...E se depois de 6 meses eu não quisesse mais fazer bolo nem ver filmes? Sabe como é emprego registrado na minha área, aqui no Brasil...
Acho que tudo isso passa...um dia...assim espero...
Boa sorte,
Lígia, mãe do Gu (Santo André - SP)

cecisantiago disse...

Bem amiga, ainda vou viver isso. mas só de começar a olhar a escolinha dele fico com nó na garganta. Fiquei grávida e passei no mestrado ao mesmo tempo. E terminei no prazo (02 anos) sem tirar licença (do mestrado). Não queria bába, mas foi impossível e diante da cultura aqui no Brasil, por que não tê-la. Até hoje deu certo, porém agora sinto que ele precisa de mais estímulo do que a que ela dá. Apesar de trabalhar a maioria dos dias um turno, a presença dela me quebrou um galhão, isso não posso negar. Decidido então: ano que vem os 2 vão pra escola: o filho e a babá. Mas a idéia das viroses ainda me atormenta, não vou mentir....e até quando vou conseguir ficar só um turno trabalhando? Enquanto isso só dúvidas...! Mil beijos e esse é mesmo o mundo materno: dúvidas e culpa, parceiros!

Lucy C disse...

Amiga, me deu um aperto no coracao de ler teu post, pois nao consigo imaginar a dor dessa situacao. O que vc esta' sentindo e' sim parte do teu coracaozinho de mae, do instinto maternal que Deus te deu. Escute-o. Nao sei qual e' a tua situacao, so' posso falar do fundinho do coracao que se houver uma oportunidade de passar mais tempo com seus pequenos... nao perca. Eles serao pequetitos apenas uma vez. O trabalho, a carreira e' uma ilusao gostosa, mas pode ser estabelecida a qq momento com forca de vontade. A infancia dos pequeninos nao, essa nao volta. E ninguem melhor nesse mundo inteiro pra estar juntinho deles, nutrindo, guiando ensinando no caminho do bem. Com apenas 3 professoras e 18 criancas, Zack vai aprender mais dos colegas do que dos adultos, e qual serao os valores e comportamentos que esses amiguinhos estao passando? sinto pela sua situacao...aqui estamos fazendo um sacrificio danado pra que eu possa estar em casa com a Sara, e meus afilhados, mas vale a mena. Vivemos com menos bens e mais felicidade. um abraco bem grande!

Reni disse...

Como sua mae eu te digo,peca a Deus sabedoria e siga as instrucoes que Ele te der,foi assim que eu fiz e deu certo,ou melhor nao completamente pois ainda nao sei qual vai ser as escolhas de vcs so saberei ao certo quando chegar ao ceu ,mas...ate la ...Deus vai guiando os nossos caminhos ...e so deixar ser guiados por Ele!!Como vc sabe ,meu papael agora e orar por vcs!!Faco isto todos as madrugadas
Deus te abencoe nesta nobre missao!!
mamae

Carol disse...

O meu gatinhozack foi pra creche em período integral com 7 meses. Dílema sem fim, vontade de virar dona de casa, ficar curtindo a cria e cuidando da comida dele.Dilema sem fim parte 2: tenho que ter grana pra dar o melhor que puder (escola, viagens, casa e etc).
Decisão final: não tenho a menor culpa de sair do trabalho as 17:15 em ponto, nem de ligar falando que etou vou fazer home office e ir pro parque jogar bola..
Afinal fomos programadas pra ser mão, mulher, amiga, dona de casa,amante... só não tenho tempo pra ir no cabeleireiro, isso sim me deixa com culpa...

Carol

Deby disse...

Essa é uma decisão dificil demais.
Não tenho filhos e por isso não posso te dar conselhos ou instrucões, ideias ou críticas.
Eu ainda não sei o que farei qdo tiver meus pimpolhos, mas diz minha mãe que ela não quer que seus netos fiquem só com as babás.
- Tragam eles pra cá com babá e cuia.
Se eu morar na mesma cidade que ela, com certeza farei isso qdo precisar.
Mas penso em fazer uma poupanca gorda só pra passar 2 anos como mãe integral e não morrer de fome.
Que Deus te dê sabedoria e paz nessa situacão. Sempre digo: se sentir paz, daquela inexplicável, é pq está fazendo a vontade do Pai.
bjinhos

Renata, Dory e Olívia disse...

Que fofa sua mae! Minha mae diria o mesmo. Eu acabei de chegar no Canada e no Brasil ficava em casa com minha pequena. Aqui as coisas mudaram um pouco e vou ter que trabalhar, mas so de pensar em coloca-la na escola full-time me da um aperto sem fim. Nao me arrependo de ter passado esses dois anos com ela, e se pudesse ficaria ainda mais.
Vamos ver como sera o fim da historia.
Bjs

Renata disse...

Acabei de descobrir seu blog, nem sei através de qual (rsrsrs!) e amei! E sim, eu tenho crise...fico com o André em tempo integral e às vezes acho que se passasse um tempinh fora teria mais paciência. Normal, né? Mãe sempre acha que poderia estar fazendo melhor.
Certeza que eles vão amar a escolinha.
Boa sorte. Eu vou dar mais uma lida por aqui...beijinhos, Re