10

Dentro da caixola

Quer entender cabeça de criança de 3 anos é acompanhar as conversas deles:

Conversack e sua amiga Lara, de 5 anos que passou uns dias por aqui, falando sobre suas origens:
Lara (com seu fofíssimo sotaque carioca):
- Eu nasci no Rio de Janeiro, e você Zack?
Zack:
- Eu nasci no Canadá.
Lara (com cara confusa, como quem sabe que quem nasce aqui não é brasileiro, logo não deve falar Português e tal):
- Nossa...como assim? Então você é daqui?
Zack (mostrando que tem 2 anos a menos e não sabe bem o que significa ser daqui):
- Não sei...

E mudam de assunto.

Horas mais tarde, agora ambos com fantoches em mãos e falando com voz de fantoche:
Fantoche Zack:
- Oi amigo, tudo bem?
Fantoche Lara:
- Tudo, e você?
Fantoche Zack:
- Tudo bem!!!
Fantoche Lara:
- Ei amigo, onde você nasceu?
Fantoche Zack:
- Eu nasci no Canadá, mas pode ser um pouquinho no Brasil e também nos Estados Unidos...

Entendeu tudo o menino (a vovó mora nos EUA, estes são os 3 países que ele mais "frequenta").

*****************
No shopping, onde tinha uma daquelas máquinas infernais de colocar moedinha de $2tendo uma chance em 2 bilhões de ganhar um óculos ridículo que custa $1:

- Mamãe!! Letters! Eu quero jogar o binquedo dos letters! Me dá uma moedinha!(esse jogo fica mostrando umas letras iluminadas, sei lá eu qual é o lance)
- Não filho, não vai dar pra jogar, esse jogo é de adulto, olha, só tem coisa feia, óculos, carteira...
- Por favor!!!! Eu quelo, eu quelo, eu quelo ganhá uma carteila!
- Filho, hoje a gente veio pra comprar as coisas para o seu aniversário de Cars, você não está feliz porque a gente comprou tudo de Cars que você queria para seu aniversário? Agora a gente não vai mais gastar dinheiro. A mamãe não tem mais dinheiro.
- Mas me dá só uma moedinha então...
- Não filho, pra ganhar moedinha tem que trabalhar!
- Mas eu trabalhei no meu contadozinho hoje! (computadorzinho, um desses laptops pra fazer criança ficar quieta no carro ao mesmo tempo que viram Einsten - e ele sabe que quando alguém está no computador, é porque está trabalhando)
- Mas esse trabalho não dá dinheiro filho.
- Mas eu quelo o letters mamãe, só uma vez, tá?
- Não.
E continuo andando
- aaaaaaa (batendo o pé no chão, pequeno chilique - dos grandes ele nunca tentou)
- Ok, então vamos agora na loja devolver tudo o que a gente comprou e aí você joga seu jogo de letras, combinado?
- Não, então vamos pla casa mamãe?

Lições de economia, escolha e comportamento socialmente aceitável, tudo em um diálogo. Repare no sorriso maroto, de quem se achou a pedagoga, no cantinho da boca da mãe.

******************
Enquanto isso, no mundo dos que ainda não falam...
Descobrina achou o nenê do outro lado do espelho e é só passar por um que ela se acaba de rir mostrando seu gengivão, e o nenê do espelho rí de volta, simpáticos como eles só esses bebês que moram no espelho, e o diálogo de risadas banguelas dura uma eternidade...

E tem coisa mais linda do que gentinha crescendo?

10 comentários:

Deby disse...

Menina, gostei da sua piscicologia infantil. Essa vou anotar...rsrs
Eles estão cada dia mais fofos e crescendo.
Deus os abencoe
bjinhos

Thiago disse...

Tá ótimo!
E detalhe foi reparar que, no primeiro diálogo, o nível de desentendimento do Logicack ainda estava básico, mas depois na segunda pergunta ele conseguiu esclarecer um pouco mais da situação. Esse é o meu brother!!
Bjs!

Paloma, a mãe disse...

Ouvir conversa de criança é ótimo. Adoro! E adorei também a aula prática de economia e cia.

bibi move disse...

naaaaoo!!! nada mais lindo do que gentinha crescendo!!
eu e tom queremos ir aí visitar vocês- ele está indo só meio período na escolinha (culpa.cupa.culpa.culpa.culpa)
saudades de vocês!

Camila disse...

Maurício e eu nos acabamos de rir com as aventuras de Zack!!! Que menino fofo, meu Deus!!!

E a cena de Nina banguelinha sorrindo pro "outro" nenê no espelho é de deixar qualquer um doido...

Duas delicinhas!!!

thenewsong disse...

nossa ódio superior master super mega eu nao estar aih, ou vcs aqui pra ver ao vivo estas historias...
vc sabe que sao estes tipos de dialogos q eu reproduzo incansavelmente pra talvez todas as 63 pessoas q eu encontro por semana neh? ...acho bom entao me ligar ou postar rotineiramente (pq nao diariamente jah q vc tameio inutil aih ne? ...rs)pra alimentar a "fofofofo" - fofoca de fofo que todo mundo gosta e faz cara de fofo tipo "nossa q fofo" quando acaba...
lascai-vos..

Sandra e Evaldo Vicente disse...

KKKKKKKKKK
Muito bom registrar pra nao esquecer. Achei legal ele pegando o sotaque carioca tambem. Ele eh mesmo um cidadao do mundo e se adapta a tudo.

;-)

Josi disse...

Aiii conversa de criança é tudo de bom e presenciar o resultado da reflexão deles sobre as coisas é mais legal ainda.
Agora parabéns viu ma mãe, nada como convencer utilizando a velha tática do troca-troca...e Zack não tem nada de bobo viu?!
T+

Isabela disse...

Que lindo!!! Uma graça esse Zack. E muito esperto heim, menina.

E essa baby é cuteee... Saudades da época que o meu era bebezinho assim. (até parece que faz muito tempo...rsrsr)

Bjs

Isabela.

Lúcia Soares disse...

Oi, Keiko.
Conversa de criança é sempre deliciosa de se ouvir. Você acaba fazendo por aqui o seu caderninho de lembranças, pois é preciso escrever tudo o que falam.
Minha neta de quase 10 meses - faz no dia 20 - já anda repetindo umas sílabas e a gente estranha na hora, fica pensando se realmente ouviu aquilo. É uma maravilha, deliciosamente linda a fase. Bj