4

Lições

Essa coisa de ter gente na sua casa dá material pra reflexão. Vejam algumas lições de suma importância que eu aprendi durante essa temporada.

Na terça-feira passada fomos eu, as 2 sobrinhas mais velhas (de 6 e 8) e Princhuquinho para o parque de diversões daqui. Mais pra aplacar minha consciência pesada pois tive que trabalhar vários dias enquanto eles foram passear e minhas sobrinhas vieram dizer: "Poxa, tia, você quase nem saiu com a gente" e pra bancar a "super-tia", do que realmente por vontade própria, mas fomos.
Lição número 1: Se seus familiares estão na sua casa por um mês, tente ajustar sua agenda para fazer o máximo de programas possíveis com eles, porque quando você não faz, a consciência pesa e você tem que fazer um super-programa no último dia pra compensar tudo.

Não posso dizer que não foi divertido. Foi. Voltei só o resto, ou nem isso, mas valeu. Princhuquinho descobriu sua vocação pra cavaleiro e adorou o carrossel, além de outros brinquedinhos para bebês. Ainda tenho a impressão que seu brinquedo preferido foi um tal de "peito e sombra", esse sim sob medida para crianças de 1 ano, mas vale como primeira experiência "parquística". Adoraria ter uma máquina fotográfica pra registrar o momento, mas a minha foi perdida por uma das sobrinhas em um incidente fatídico. Pior é não ter nem moral pra dizer nada já que dias antes eu tinha perdido $1000,00 - mas essa é outra história.
Lição número 2: Nunca dê uma coisa cara para uma criança de 8 anos levar na bolsa, mesmo que ela jure que vai tomar cuidado. Também não dê dinheiro pra ser trocado no banco por uma pessoa de 26 anos que nunca confere o dinheiro que recebe, ela pode não notar que está faltando uns trocadinhos.

Agora entendo melhor porque minhas (5) tias faziam (e fazem até hoje) questão que a gente ficasse tanto tempo na casa delas e até brigavam pra ver na casa de qual iríamos ficar (já que metade de Uberlândia é parente meu). Ser tia é bem bom. Você pode ficar lá, bancando "A tia que eu sempre quis ter" e quando a coisa aperta, é só recorrer ao "só se sua mãe deixar". Em caso de resposta negativa o monstro fica sempre sendo a mãe, enquanto você mantém seu posto.
Lição número 3: Deixe suas sobrinhas em férias na sua casa comerem mais de 4 sorvetes em um dia, almoçarem no McDonalds, comprarem todos os chocolates, balinhas e chicletes que quiserem, brincarem na maquininha que ganha bicho de pelúcia, dormirem na barraca na sacada e ficarem acordadas até tarde, tudo escondido dos pais delas. Se eles perguntarem, negue tudo - mas longe das crianças porque você é legal, mas não é mentirosa.

Homens e mulheres/ Pais e mães são realmente seres distintos, as mulheres/mães sendo realmente dotadas de um algo a mais no quesito lidar com várias coisas ao mesmo tempo (leitores me perdoem, mas é um fato). Posso relatar inúmeras situações, mas a mais ilustrativa foi essa: Eu fazendo chapinha no cabelo da minha cunhada, enquanto ela conversava com meu marido e costurava a roupa de uma das meninas, além de escolher a roupa da outra e dar instruções pro marido na cozinha. A mais nova interrompendo a cada 5 segundos a conversa. Meu marido tentou: "Nicole, por favor pára, o tio está ocupado" - obviamente sem resultados. Minha cunhada: "Vou fazer uma mágica, pir-lim-pim-pim, você virou uma abóbora! Vai lá no espelho olhar, corre, corre!" - e isso rendeu paz por uns vários minutos.
Lição número 4: Se você nasceu homem, sinto muito meu caro, passe a vida fazendo uma coisa de cada vez.

Olhando minha cunhada e seu marido lidarem com as crianças, finalmente achei um ponto negativo em ter 2 empregadas e 1 babá a seu serviço (mas não se iludam, eu posso nomear pelo menos uns 427 positivos). O marido tende a ficar bem mais distante dos cuidados das crianças já que quando a babá não está lá, a responsabilidade implicitamente fica sendo da mãe. Além do que (ok, ok, isso são 2 pontos positivios), a própria mãe tende a sofrer mais já que todo mundo sabe, é muito mais fácil se acostumar com o fácil, do que com o difícil (o difícil sendo a vida sem empregada e babá, que fique claro).
Lição número 5: Se você não tem escolha (ou não tem quase $200/dia pra pagar uma babá e uma empregada no "primeiro mundo"), agarre-se ao fato e gabe-se pra mundos e fundos que você é realmente uma super-heroína conseguindo manter uma casa, um filho, um trabalho, um doutorado e a sua sanidade, tudo ao mesmo tempo, com a ajuda igualitária do seu marido. E enquanto outras se queixam das toalhas manchadas pela empregada e da falta de tempo, você está lá...viva pra começar, e até arranja tempo pra escrever bobagens como estas.

4 comentários:

Deby disse...

kkkkkkkkk
Tb tirei algumas lições das visitas lá de casa. Mas isso fica pra qdo tiver certeza de que eles não leem o meu blog...hehehe
bjinho

Marco Aurelio Brasil disse...

Eu vim até aqui com o fim precípuo de pedir pra vc cotar pra mim companhias de aluguel de carro no trecho tua casa (eu desisto, vivo confundindo Montreal com Toronto com Vancouver, com Mackenzie com Groenlandia e tudo mais que aparece no lugar do Canadá lá no War)até NY, largando o carro por lá e vice versa pra ver qual é o mais barato, se é que dá pra fazer, etc, mas agora fiquei com dúvida: iríamos nós agravar o estado de precária sanidade dela após essa experiência tão rica em lições? Deveria eu mudar de planos e planejar uma viagem pra Patagônia?

Claudia disse...

existem manuais para as mães modernas? mas não vale essas que têm um esquadrão de assistentes não!!!

Lilian disse...

YAY!!! Eu sou também uma heroína!! E prefiro assim, sinceramente.

Várias vezes qdo fui ao Brasil fiquei vários minutos sem participar das conversas de meus amigos pois estavam reclamando das faxineiras, etc, etc, etc.

Q triste isso da perda do $ e da máquina.

AGORA, perfeito o item #4 e... desde pequenininhos eles só conseguem fazer só uma coisa de cada vez. O Kel tem mania de telefone, mas qdo ele tá falando com alguém no tel. e eu tento mandar um recado, ou falar alguma coisa, ele fala pro seu interlocutor, "Repete o q vc falou pq a mamãe falou comigo e eu não consegui escutar" -- PODE? Parece meu sogro e meu pai pedindo silêncio pra escutar o jornal nacional!! ;)