5

Trânsito

Desde que mudei pra cá ficava feliz da vida achando que aqui, não tinha trânsito como o de São Paulo. Quem já ficou mais de 4 horas parada na Marginal Tietê sabe do que eu estou falando, trânsito é aquele que te obriga a desligar o carro, pegar a pinça e começar a fazer a sombrancelha e outras atividades altamente recomendadas e seguras já citadas por aqui.

Essa semana eu entendi porque eu achava que aqui não tinha trânsito, era porque eu andava de metrô.

Esta semana minha alegria se provou vã, aqui tem trânsito, e muito. As distâncias são menores, logo as horas também, mas que tem, tem.Um leitor atento pode se perguntar: "Mas por que raios então ela não continua andando de metrô?". E a resposta é simples, desde que eu sou uma mãe solitária, com um filho para levar para a creche, eu me recuso a usar o transporte público. O metrô tem sim inúmeras vantagens, mas acessbilidade, definitivamente, não é uma delas. Tente carregar um bebê em seu carrinho, a bolsa dele e sua própria bolsa, escada a cima, escada a baixo, e sobe, e desce e puxa e vai...minha gente, te digo, não é divertido. Troquei a meia hora de metrô por uma hora de carro, mas pelo menos não chego suada e desfigurada ao destino final. É fato que também tive que trocar os $32 que se paga para usar o transporte público livremente o mês todo por mais do que isso por semana, mas o que a gente não faz para ficar bonitinha, e se poupar do esforço físico.

Outro dia recebí um email daqueles encaminhados que eu odeio, mas que eventualmente resolvi ler. A tal mensagem era ótima e apresentava alguns fatos que comprovavam que você vive no Québec. Um deles era: Se você conhece as 4 estações: Quase inverno, Inverno, Ainda a estiagem do inverno e as Obras nas ruas e estradas, você vive no Québec. Aparentemente a estação atual é a das Obras. Boa parte da rua que me leva à creche e ao meu trabalho está fechada para obras, assim, fechada mesmo, o retorno por si só é uma viagem . A rua da creche, ops, escolinha, foi cortada pela metade. Quando digo cortada eu quero dizer cortada mesmo, foram lá e cortaram a calçada e o asfalto, não me perguntem o porquê. E é por essas e outras que há tempos minha sombrancelha não andava tão bem feita. Se bem que agora tenho outras distrações, como tirar o picolé da mão de Larapiack que ia pegar só um pedacinho e me tomou tudo e fazer diferentes gestos e caras pelo retrovisor para o mesmo enquanto canto todo o meu repertório de canções. De um jeito ou de outro, o povo que passa e me vê questiona minha sanidade e por vezes até me chama a atenção, mas como ninguém paga minhas contas, não ligo não.

E foi assim que, quem diria, eu sentí saudades do trânsito de São Paulo...Lá pelo menos sempre tem um moleque vendendo Bijou, Suflair (2 por 5 real), água, castanha de cajú de vigésima qualidade e por aí vai. Se bobear, você chega em casa com as compras do mês feitas (nesse momento você se pergunta que tipo de pessoa tem por compra do mês os itens supracitados...mas enfim...). É fato que você nunca sabe se o vendedor vai mesmo te vender ou eventualmente te assaltar, mas até aí, já diria minha mãe, não se pode querer tudo.

5 comentários:

Flávia disse...

Keiko,

Entendo você, saudade não se explica. Eu tenho saudade de ir à praia e poder comprar de TUDO sem levantar da cadeira (que aliás, não é minha, porque já estava na areia quando eu cheguei). Acho a praia aqui muito silenciosa e concluí que 50% da diversão vem do fundo musical "olha o mate", "o salgado tá fresquinho", "cerveja gelada, coca e guaraná".

Nunca fiz a sobrancelha no trânsito. Em terras tupiniquins, pago alguém para fazê-la por mim. E o trânsito de Brasília não chega perto do de Sampa.

Beijinho.

Bibi Move Scliar disse...

ah keiko...Outro dia estáva reparando nas placas do Metrô aqui. Eles estão trocando as peças das escadas rolante- que se encontram portanto fechadas (fazendo mães e velinhos se arrastarem pelas escadas convencionais.
A placa diz:
Obras na escada rolante, de MAIO até novembro!!!!!
Cara, agora me conta porque raios eles precisam de SETE meses pra trocar a escada rolante????????
Fala sério...
e eu sempre penso que se fosse em são Paulo já tinham destruído tudo, só de revolta.
mas é que canadense é muito educado mesmo...

Sandra e Evaldo Vicente disse...

Keiko,
E as fotos do Zack? A Lara está querendo ver.
Aqui no interior de Ville de Québec gasto 7 minutos até a escola da Lara, 2 minutos para a escola do Vinny e uns 15 minutos até a Université Laval (fugindo das obras é claro). Aliás comentei com o Evaldo se exista uma época em que as ruas estejam livres porque quando não é obra deve ser a neve, né? Mas, não dá para ter tudo mesmo... snif

Claudia disse...

É a tal da praticidade das mammies, fazer o quê, né?...
Mas aqui nos faróis tem de tudo mesmo, amendoim torrado sem casca, Bob Esponja inflável, guarda-chuva XL (para quem tem filhos é ótimo!), Trident, paçoquinha, buquet de flores, carregador de celular para carro, viva-voz...Isso sem falar nos shows de malabares, com tochas de fogo, ioio chinês, limão, bolinha de tênis...

Flávia disse...

Keiko,

Li na revista Caras desta semana que talvez você venha a Vancouver. Como assim ? Pode tratar de dar as caras para conhecer a turma do Iglu, viu ?

Beijinho,
Flávia.