4

Mais chegados que um irmão

Uma das coisas difíceis quando se muda de escola, de cidade, de país é achar amigos novos. É fato que ter amigos parece menos crucial quando não se é mais adolescente, mas mesmo grandinhos, todo mundo precisa de amigos e sem eles a vida é bem mais triste.

Eu nasci, cresci e vivi até os 24 anos basicamente na mesma comunidade, com os mesmos amigos que cresceram comigo. Quando cheguei aqui aos poucos fui conhecendo um pessoalzinho aqui, outro alí mas no começo achei que nunca mais fosse ter amigos assim, pra toda obra, como tinha na Terrinha. Achava que amizades circunstanciais (termo técnico criado pela minha própria pessoa que significa amizades feitas sob uma determinada circunstância, exemplo, "brasileiros morando no Canadá", que não existiriam se não houvesse a dada circunstância). Ledo engano.

Hoje em dia ainda sinto uma saudade infinda dos meus amigos de infância com os quais troco emails e ligações via skype, mas com os quais infelizmente não troco meu dia-a-dia, aquelas coisinhas pequenas que alimentam as amizades. Meus amigos queridos de infância também não estão vendo Lindack crescer, a não ser pelas fotos mensais e pelos "high fives" virtuais trocados entre a web cam e a tela do computador. Sinto falta, fico triste, mas sei que eles sempre estarão lá e que a cada vez que eu for ao Brasil será como seu eu nunca tivesse saído de lá. Já não durmo na casa de amigos no meio da semana, nem trocamos brinquedos e roupas (até porque minhas amigas são raquíticas e as roupas delas não passariam nem pela canela), não trocamos bilhetinhos nem papel de carta, mas posso dizer que meus novos amigos têm lugar cativo no meu coração (sem querer ser piegas, mas já sendo) e preencheram com sucesso aquele buraco que só amigos podem preencher.

Amigos que gastam horas preciosas das suas vidas fazendo sua declaração de imposto de renda, para a qual você só deu apoio moral já que não entende absolutamente nada do assunto. Amigos que cuidam da pobre criança abandonada quando seu pai viaja e sua mãe tenta virar doutora. Não só cuidam, mas levam pra passear, compram brinquedo, dão banho, trocam fralda, alimentam, dormem junto. Não só isso mas guardam em suas casas éstoques de brinquedos pra entreter seu filho quando ele está por lá até o ponto que a criança já nem liga mais se tem mãe ou não. Isso porque ele sabe que tem pelo menos mais um par de mães e pais diponíveis (tanto que depois de Mamãe e Papito, os primeiros nomes que Tagarelack falou foram: Dinda - Bianca, Dindo - Odimar, Tia Mácia - Márcia e Fiu Filviu - Tio Silvio). Amigos que gravam a série de televisão pra você quando você estava desesperada pra assistir, amigos para os quais você pode ligar quando estiver a caminho do aeroporto para pedir para fazer coisas absurdas e ficar tranquila, porque eles vão fazer. Amigos que seguram sua perna durante o parto, amigos que resolvem seus problemas de computador, de celular e até de vida. Amigos que cozinham pro seu marido (já que o pobre não pode contar com você nesse assunto). Amigos que compram o queijo que você queria mas não conseguia comprar, amigos que saem pra comemorar o fim do semestre com você e pra quem você liga pra jogar conversa fora quando não quer trabalhar. Amigos com quem você assiste filmes a fio nos infindáveis sábados a noite durante o inverno. Amigos com quem você celebra todos os aniversários, festas, feriados e qualquer outra chance de celebrar qualquer coisa. Amigos com quem, como nos velhos tempos, você compartilha segredos de estado e pra quem você doaria um rim (espero que eles nunca precisem, obviamente).

Vocês, meus já não tão novos amigos, sabem bem quem são e este post é pra vocês. Post circunstancial, ouço alguém pensar alto, dada a recente "maratona do imposto de renda", e o caótico fim de semestre, mas na verdade é um post que vem sido pensado há tempos, só pra dizer o quanto vocês são importantes pra mim, pra Amizack e pra Princhucão, só pra reconhecer que não há segurança, qualidade de vida e ausência de alergia que qualifiquem esse país se não fosse vocês, só pra agradecer por serem a definição perfeita daqueles amigos, mais chegados que um irmão (ou tanto quanto, vamos adaptar, porque vocês sabem como amo meus irmãos).

Colocaria uma foto deles aqui, mas tenho que consultar já que sei que alguns não curtem muito a exposição pública de suas belas imagens...

4 comentários:

Fasciutta disse...

Essa galera é de ouro mesmo...

Odyma disse...

Poxa assim vou ate chorar ;), posso dizer o mesmo desse amigos maravilhosos que Deus colocou na nossa vida. Vcs tb tem um lugar especial em nosso coração.

Anônimo disse...

Ai amiga, assim eu choro!!! Muito obrigada pelo seu post, mesmo se vc n tivesse escrito sabia q vc gosta da gente... E agradeço todos os dias ao papai do céu por ter me dado amigos tao especiais qto vc's a Marcia e o Silvio.
E pricipalmente por ter me dado a coisinha mais especial desse mundo que é o Zacolino, esse menino que me faz fazer coisas que eu mesmo duvido que sou capaz de fazer.
Obrigada por tudo vc's sao D+!
Bib's a Dinda mais feliz desse mundo.

Flávia disse...

Os amigos sao nossa familia longe de casa. E familia escolhida a dedo, circunstancialmente ou nao.

Se voces morassem aqui, acho que seriamos amigas.

Beijinhos.