22

Neanderthal News

Então é assim, você estuda, casa com um homem esclarecido, estuda mais, trabalha, estuda mais, tem um filho, estuda mais e um belo dia, sob seus incrédulos olhares, a história acontece.

Era uma tarde de sol, a mãe do meu aluninhO, que já tinha dado uma bicicletinha e um carrinho para Meninack, me oferece agora uma cozinha, dessas com piazinha, maquininha de lavar roupa, fogãozinho, tudo embutido, um luxo só. Além de um saco cheio de comidinhas, pratinhos, panelinhas, um jogo de encaixe e um vagão de carregar brinquedos. Ela estava me dando porque seus 2 filhOs, agora com 7 e 5 anos, já estavam cansados de brincar com aquilo tudo.

Eu, feliz da vida peguei tudo, botei na van, achei o máximo. Chego em casa, peço pra Princhuco, o marido, buscar no carro porque eu tinha subido com as compras. Chega Princhuco de volta com o vagão, o jogo de montar, o saco de comidinhas (que ele não sabia que era de comidinhas) e nada da cozinha. Eu pergunto:
- E a cozinha?
- Como assim a cozinha? Pra quem é aquilo?
- Oras, ela deu pro Zack também
- Que absurdo! Como assim? Nessa casa não entra cozinha! Meu filho não vai brincar com cozinha!
- ... (cara abismada e incrédula)
- Tá olhando o que? Nossa, eu tô muito triste com isso, onde já se viu dar uma cozinha pro menino?
... e daqui segue-se uma discussão de umas 3 horas mais ou menos...

A minha questão é: eu estou maluca ou trocaram meu marido por um homem de Neanderthal e ninguém me contou?

Após muita discussão, ficou combinado que íamos consultar os amigos pra constatar quem afinal de contas ia ser internado em um manicômio especializado em assuntos sexistas. A escolhida fui eu! Todos os amigOs, e pior, as amigAs, estavam do lado do Marido das Pedras!!

Agora, gente, não é possível!! Um dos amigos me deu a idéia de publicar uma enquete nesse blog, então o Tirando o Sapato está aberto para a discussão, em prol da minha sanidade.

Deixem-me colocar o cenário.
Os personagens:
De um lado, quem vos fala, é a mãe do menino, terapeuta ocupacional cujo tema principal da tese de doutorado é "lazer e recreação". De brincadeira, ela entende.
Do outro lado, o pai do menino, que atualmente embora mantenha seus negócios no Brasil, na maior parte do tempo fica em casa cuidando do menino, lavando louça, colocando roupinha na maquininha, arrumando a casinha, lavando panelinha, fazendo comidinha pro nenê, essas coisinhas, enquanto a mãe do menino estuda e trabalha. Ele entende de negócios, mas de cuidar de casa ele também entende.

Os argumentos:
Da mãe: Resumidamente, brincar é a principal atividade para o desenvolvimento integral da criança. Através da atividade lúdica, a criança assimila e reproduz papéis sociais e comportamentos, processa e aprende como agir. Por essas e muitas outras, a brincadeira é o instrumento pelo qual a criança se prepara para a vida adulta. Por reproduzir o espaço social, a brincadeira é o maior meio de aprendizagem de habilidades como partilhar, ajudar e das próprias ações em geral. Por isso também, durante séculos, as brincadeiras infantis reproduziram a representação social da mulher, como "rainha do lar", responsável pelas tarefas domésticas e do cuidado das bonecas, digo, dos bebês, enquanto os pais saiam pra trabalhar com seus carrinhos. Hoje, caso ninguém mais além de mim tenha notado, as mães (as que optam por isso, obviamente) também têm seus carrinhos e suas ferramentas, e os pais (mas que surpresa!), podem até ficar em casa brincando de casinha. Logo, nada mais normal pra um menino que vê o pai brincando de panelinha, querer brincar de panelinha também! Na pior das hipóteses, ele vai ser um ótimo marido e um ótimo pai. Do tipo Made in Canada, que sabe que dividir tarefas de casa e o cuidado das crianças não é boa ação e nem "um exemplo de marido", mas meramente obrigação. Pra mim, com um certo exagero, mas só pra traçar um paralelo, não deixar um menino brincar de cozinha é como dizer pra uma criança que viveu em uma época pós-abolição dos escravos que ela ainda pode brincar de chicotear uma boneca negra, isso é, se ela tiver uma.
Do pai: Meu filho não brinca de cozinha! Daqui a pouco você vai querer da um mini-secador-de-cabelo e uma Barbie pra ele também!
- Claro, era exatament isso que eu tinha na minha lista de compras de hoje.

Eu sei, eu sei e até entendo a sua resistência, caro leitor(a). No fundo no fundo todos nós fomos crianças que brincaram ou de bola ou de boneca e em um país onde não existem por exemplo empregadOs domésticos e o gênero predominante na língua é o masculino. A mudança é dura e demora a entrar com fluência dentro da nossa arcaica representação social do mundo, mas não se deixem influenciar pela sua tendência machista, ainda que você jure ser feminista. E por feminista aqui não estou falando de queima de sutiãs, mas tão somente de um novo esquema de família-sociedade, que tende a funcionar muito bem quando os pais dividem as tarefas mas cada um sabe bem a importância do seu papel e sabe preservar as características do seu gênero.

De repente o tom ficou sério por aqui, perdoem. Mas é que como a minha brincadeira agora é isso de escrever blog eu preciso brincar pra entender o mundo e descobrir se estou realmente lelé-da-cuca, vanguardista desvairada, comedora de criancinhas ou se o problema é o mundo.

Se você acha que o pai está certo ligue para:
0800-EU-VIVO-NA-IDADE-DA-PEDRA-MAS-NÃO-ADMITO
Se você acha que a mãe está certa, ligue para:
0800-EU-PREPARO-MEU-FILHO-PRA-VIDA
Ou deixe sua opinião aqui mesmo. Se quiser deixar uma mensagem anônima por medo de retaliações, não hesite, pois a mãe está meio sensível ao assunto.

Enquanto isso, na sala de justiça, uma cozinha espera por um dono.

"Minha dor é perceber, que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais..." (Elis Regina) - É isso, apelei mesmo.

MURAL DE RESPOSTAS:
Flávia: As fotos foram um ponta-pé do irmão mais novo por aqui, mas agora eu aprendi! E não é que é fácil? Se até eu consegui, qualquer criança de 3 anos consegue, acredite.

Suzy: A sequencia das músicas eram 2 sertanejas pra 1 MPB, é aí que entram Toquinho ( o do Vinícius mesmo) e o Chico (Buarque)

22 comentários:

Lucy Tence Corbin disse...

Comecei a ler teu post e pensei que estava indo em outra direcao (pensei q voce nos contaria que estah gravida novamente, tentando ter uma meninha)... entao A solucao e' simples. Ta' na hora de Espertack ganhar uma irmanzinha...

Sandra e Evaldo Vicente disse...

0800-EU-PREPARO-MEU-FILHO-PRA-VIDA
SIM COZINHA PARA O ZACK!!!!
E se o maridao nao deixar, manda pra mim!!! kkkk
Na verdade a cozinha vai virar tranqueira porque o Zack vai ate brincar, mas nao muito. Entao minha sugestao eh: so fique com ela se vc tiver muito espaco porque certamente as pistas de hotwheels precisarao de MUITO espaco disponivel.
Hilario este post.

Suzi disse...

Inicialmente, keiko, grata por me estampar no mural de respostas e esclarecer a duvida cruel que se manteve na minha cabecinha até este exato momento. rs*
Eu pensei que a viagem tinha sido 100% sertanejo e, de repente, havia um homônimo do Sr.Toquinho fazendo o gênero. rs*

Quanto ao mais, ao "mais importante", a esta altura do campeonato...
Debo dizer que concordo em TU-DO-TU-DO-TU-DO com você. Algum tempo atrás, quando trabalhei com educação infantil, mantinha na "casa de bonecas" todos os apetrechos do lar, e brincávamos, todos, com tudo. Os meninos lavavam, passavam roupa na tabuinha e tudo, cozinhavam, punham o bebê (boneco) pra dormir, as meninas viam tv, sentadas confortavelmente no sofá, e não se tratava de inversão de papéis, por mais que isso possa assustar os pais (e aí, não se trata de machismo da língua, quero dizer pais, "papais", mesmo).

As mães também se assustavam e vinham me perguntar se tinha havido a brincadeira de passar roupa e tal. Muitas vezes, o desespero vinha delas mesmo. Mas, na maioria das vezes, ou se escondiam atrás do pai, ou realmente era uma cobrança do papai, em casa: "vai falar com a professora; agora vou ter que comprar boneca pro meu filho?", blá-blá-blá... (discurso de paizack não é inédito).

Então, entrava a professora, no portão, por telefone, na reunião de pais e professores (onde raramente comparecia um papai), e se submetia à execração pública, ao dar essa explicação toda que você deu, aí, Keiko. A alegria era que, enfim, muitas compreendiam. Mas nem todos...

Mô pai!!!! Faz mais de 15 anos que eu não trabalho com educação infantil e parece que "nada mudou de lugar..."
:(

Bem, voto por que se dê a cozinha à crianzack, pelos fatos e fundamentos trazidos na defesa, e porque a vida de um homem vai muito além das corridas de Fórmula 1 nas manhãs de domingo.

Beijos na mamãe, no papai (amigo, amigo, amigo...) e no bebê, futuro HomeM com H e M, de Moderno, maiúsculos!!
:o)

Anônimo disse...

Sempre leio seus posts e nunca comentei, mas dessa vez não tem como não deixar um recadinho...

Eu voto no
0800-EU-VIVO-NA-IDADE-DA-PEDRA-E-ADMITO-SEM-PROBLEMAS :D

Retrógrado? Arcaico? "Demodé"?
Pode até ser, mas estou com seu marido... filho meu não brinca de barbie tb!
Me passa seu endereço que envio pra vcs uns "comandos em ação" pra ele! rs*
Bjs,
Adilson

thenewsong disse...

sabendo da premissa que o Johhny nunca decepciona, eh obvio q estou com o princhuco e nao abro!

Sem mais,
Tio Australopithecus

Claudia disse...

Aqui em Sampa a faculdade mais IN do momento entre a rapaziada é de Gastronomia!!!

Anônimo disse...

0800-EU-PREPARO-MEU-FILHO-PRA-VIDA
Bom, acho que no século XXI, pessoas esclarecidas não deveriam estar discutindo esse assunto... DEIXE A CRIANÇA BRINCAR E SER FELIZ!!!

Suzi disse...

Tá boa, a discussão! Muito boa! rs*

Mas Keiko, eu voltei aqui pra dizer que (graças á Sandra) descobri esta diversão que é o "Tirando o Sapato".
Por isso eu o indiquei para as sete maravilhas.

(Não precisa publicar este comentário. "Eu apenas queria que você soubesse..." - como cantaria o Gonzaguinha. rs*)

Bj e boa noite!

Deby disse...

Muita hora nessa calma...rsrs

Dê a cozinha pra Zack, mas não o deixe brincar de boneca. É arriscado...rsrs

bjinhos

Lígia disse...

Adoooro seu blog! E esse post, prá ficar menos sério, não é trágico, mas cômico...Primeiro pela forma divertida que os fatos chegam a nós (parabéns pela sua habilidade de escrever BEM), segundo, pq é hilário pensar que os homens pensam assim. E pensam mesmo...
Ainda não cheguei nessa fase prá saber como meu marido se "portará" nestas questões, mas já estou preparando meu Gustavo (com suas 28 semanas aqui dentro de minha barriga)que o mundo mudou...
Sou fonoaudióloga e concordo exatamente com todas as questões de estimulação da linguagem através do jogo simbólico. Seja no papel de médico ou de papai e mamãe...
Portanto homens, brincar faz bem, imitar os adultos (nas coisas boas) faz bem!

Paralaxe disse...

Este Blog está listado no
Directório Paralaxe

Lilian disse...

Nada de hilário. por favor. Sério mesmo este assunto, seríiiiiisimo!!! Anyway. COZINHA PRO MENINO SIM!!!! MÃE esclarecida SIM, nada de idade da pedra.

Gostei demais da comparação com a abolição da escravidão. O duro do nosso país (e talvez a razão pela qual estamos onde estamos também) é o ferrenho apego a conceitos lamentáveis como o machismo e o racismo (que no Brasil vive disfarçado sob todos os tipos de desculpas, principalmente a reles "nosso problema é de classe social, não racial" - hahaha :( riso cínico e amargo).

Só algumas historinhas dos meus filhos pra vocês -- quando eles eram pequeninos, entre 1 e 1 ano e meio eles adoravam estas cozinhas, principalmente para abrir as portas e fechar. Pena q eu não tinha: 1) grana pra comprar; 2) amigos pra doar; 3) espaço pra colocar (mas mesmo sem o 3, se 1 ou 2 acontecessem, eu teria uma). Minha mãe até trouxe uma cozinha em rodinhas do Brasil pros meninos e muitas vezes o único jeito q ela conseguia fazer almoço era dar coisas pro Kelvin "cozinhar" como ela enquanto ela cozinhava.

Brincar com cozinha, com boneca (sou apenas contra Barbie também apenas porque como uma boa feminista vejo a Barbie como uma péssima imagem feminina, impondo um 'padrão' de beleza à-la modelos de passarela que é fora da realidade -- nada saudável para as meninas...), de casinha, etc. são brincadeiras perfeitamente LEGÍTIMAS para meninos e meninas igualmente.

MAs vou ter q continuar outra hora, pq meu filho acordou.

Thelma disse...

0800-EU-PREPARO-MEU-FILHO-PRA-VIDA, afinal, o seu filho pode ser um super chef no futuro! ;-)

Lilian disse...

Já votei ontem à noite, mas estou tão indignada que voltei aqui de novo.

Perguntei aqui pro meu filhO de 5 anos se ele gostaria de ganhar uma cozinha e se brincaria com ela, e ele respondeu claro que sim, compre já pra mim, pois a minha cozinha quebrou (as rodinhas quebraram) e eu preciso de uma. Daí contei a historinha deste post pra ele e perguntei se estava certo ou errado NÃO dar a cozinha pro Zack, e ele respondeu que estava errado.

Então taí a opinião do "meu baixinho." Agora eu sei q se eu contar que ele tem uma "filha" (uma boneca "Cabbage Patch kids" - esqueci o nome em português que eu queria muito e ganhei de uma amiga, mas que ele adotou assim q ganhei), vcs não vão querer ouvir a opinião dele. POR QUÊ este preconceito contra meninos e brinquedos que os prepararão pra vida?

Existe um livro infantil aqui nos U.S. fantástico, chamado William's Doll (1985) sobre um menino q queria uma boneca e ninguém queria lhe dar, até q uma avó esclarecida o fez. Muito legal, e o Kelvin adora. Acho q a "titia" aqui vai mandar pro Zack :).

Lilian disse...

P.S. o livro q mencionei acima é de 1972, apenas 1 ano mais velho q eu :)

Eva disse...

Sei que estou atrasadíssima para dar minha opinião mas:
0800-EU-PREPARO-MEU-FILHO-PRA-VIDA
Interessante que hoje pela manhã tive a mesmíssima discussão com meu marido, e o nosso pequeno nem nasceu ainda.
Ele disse que tem coisas que só as meninas podem fazer e coisas que só meninos.
Eu rebati dizendo que durante a minha infância, brinquei de pião, bola de gude, subi em árvore porque meu grande companheiro era meu irmão e brincavámos juntos. Eu tinha meus momentos de brincar de casinha também.
Aí ele mudou um pouco o discurso dizendo que a mulher hoje em dia tem mais opções, mas homem brincando de casinha não tem condições.
Eu perguntei porque ele pode lavar a louça, passar a própria roupa e varrer a casa e o filho dele não pode reproduzir esse papel em brincadeiras? E ele ficou sem resposta.
Eu acho que ele nunca tinha parado para pensar nesse ângulo.
Nós temos um papel muito importante que é criar um filho para a vida. Muitas mulheres reclamam de machismo e discriminação mas são as primeiras a criar seus filhos para reproduzir a mesma situação.
Nossa, falei demais, mas esse assunto mexe com meus brios.

Amanda disse...

Oi Keiko...

Tudo joia?! Achei ótimo o seu blog...
Sabe o que eu descobrir, pelo menos acho que sim... Que vc é a Keiko do "Ká Entre Nós", não é?!
Eu sou adventista e meu noivo e eu estamos nos preparando para dar entrada no dossiê. Daki para lá nos casaremos....kkkkkkk
E sabe de outra coincidencia? Eu conheço o Henrique que cantou com vc no "Ká Entre Nós" tb, não sei se vc lembra, ele fez até o filho da alessandra em uma das fitas de vcs...kkkkkkkkkk... lembrou?!

Espero manter contato com vc...
Se tiver orkut me add, se puder...

http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=16675753401602094075
(Amanda Sousa)

muito brigadinha....

Bjinhus, Amanda

tatiana disse...

Por acaso o comandos em a�o n�o tem namorada??? E essa n�o pode ser a Barbie ou a Polly? Depois eu te explico pelo tel amiga!

Flavielle Martins disse...

Olá Keiko!

É muito agradável ver o seu blog e é incrível como mães logo se identificam. Tenho duas filhinhas: a mais velha está com 3 anos e a mais nova com 1 e meio. Todos os dias, fico pensando se estou realmente educando-as bem... creio que é um dilema comum. Mas, não tenho nenhum recentimento de dizer que minhas filhas brincam com os carrinhos e o batman do pai delas e até jogam futebol. Nada disso fez com que elas fossem menos femininas ou demonstrassem comportamentos duvidosos, pelo contrário, vejo que elas estão crescendo com outra visão de mundo, onde elas se sentem iguais e não subjugadas a frase: "isso é brincadeira de homem". Sou cientista política, não sou psicóloga ou qq coisa do tipo e muito menos feminista (no sentido literal da palavra). Quero apenas ensiná-las que elas podem brincar com quem elas quiserem, com os brinquedos que ela quiserem e que isso não precisa afetar a feminilidade delas. A mais velha pediu para fazer balé e é muito dedicada, mas várias vezes, a vi brincando de futebol com os meninos e meninas do bloco! Não creio que seja diferente para os meninos, ou então seria o mesmo que dizer que se deve criar de maneira diferente meninos e meninas. Acho que deve-se deixar o meninack escolher, quando ele estiver afim de brincar, ótimo! Ele não vai perder a identidade dele por causa de uma cozinha de brinquedo!
Agora, no caso de contratar uma babá homem, no meu caso não seria bom por outro motivo bem diferente. Como disse, tenho duas filhas e como são muito pequenas, fico com receio delas terem a impressão errada. Já tenho demonstrado que elas não devem deixar nenhum homem tirar as roupinhas delas (só o pai), sempre com muito carinho e naturalmente, aí, eu pego e coloco um homem pra dar banho nelas... acho que elas podem confundir, então, é uma decisão muito pessoal e pq tenho duas meninas, até creio que um homem pode desempenhar muito bem esse papel, mas elas são muito novinhas. Conheço alguns amigos que possuem empregados domésticos e eles são excelentes!!!

Acredito que todas as nossas decisões devem ser analizadas de acordo com a situação, avaliando o que será mais adequado. Entendo suas conclusões e até acho que será saudável para ele brincar com a cozinha de brinquedo.

Foi um prazer lhe conhecer (mesmo que virtualmente...hehehe)

Um abraço,
Flavielle

***TATTY* disse...

Então... Pra acabar com a briga de vez...MANDA TUDO PRA SOPHIA...kkk...( Não ia perder a oportunidade né?!)
Deixa o menino brincar, até porque quando ele casar com a Sophia vai precisar saber cozinhar ou ter uma boa empregada pq se depender dela aprender a cozinhar com a mãe os dois vão ficar desnutridos ou obesos por tantas visitas a um fast food.....enfim...passa lá no blog que tem uma surpresinha pra vc! Bjus

Samuel disse...

diante do conhecimento da pessoalidade do maridão, gostaria de uma única pergunta:
o que ele vai dizer para seu filho quando proibi seu filho de brincar de cozinha e boneca, mas como "cabra macho" que é aparece tanga em uma foto?

meu velho, sou seu fã, voto contigo no escuro, mas essa tá dureza.

claro, imagino que tenha deixado para trás - aqui no brasil - a velha vida, mas mesmo assim imagino que esteja mais macho do que nunca, lavando, passando e brincando de cozinha.....depois passando roupas e empurrando a vida.

carol disse...

querida mae quase enlouquecida...

saiba q vc nao esta so!!! eu tbem passei por isso algum tempo atras qdo comprei um conjunto de panelinhas pro meu filho... meu marido quase teve um troço e queria lançar as panelinhas (e eu junto!!) pela janela... so pq eram cor de rosa!!!!!!! nao tenho culpa q nao fabricam de outra cor, e alem disso, meu filho e daltonico !!!(de verdade!!), mas tem aquela questao de macho: o q meus amigos vao pensar???? eles que se lixem!!! e tive uma resposta otima pq meu filho passou a comer mais por causa da tal brincadeira de panelinha... (sim, apos 1 ano eles ficam muiiiiiiito chatos para comer...). hj ele me ajuda a preparar o almoço todos os dias (esta com 4 anos) e adora!! e da valor pra comidinha da mamae aqui! apoio aos conjuntos de panelinhas e cozinhas portateis!!!!!! mantenha-se firme amiga!!!!