8

Eu?

Nota de Gratidão: Meu muitíssimo obrigada a todos os leitores do "Departamento respostas rápidas e eficientes para perguntas cretinas" que tão prontamente me auxiliaram a resolver o mistério da data do post. Mas já que estamos falando em prêmios, tenho que dizer no entanto que o prêmio de resposta do ano vai para a Lilian, porque quando você copia e cola em um novo post as fotos ficam todas fora do lugar e aí tem que arrumar tuuuuudo de novo. Já a solução da Lilian vale a pena aprender! O post muda de data com os comentários e tudo, uma verdadeira maravilha! ( Vide comentário da Lilian no post S.O.S - e aprenda como mudar as datas dos seus rascunhos com eficiência e agilidade! )

E agora, o texto velho, com data nova:

---------

Prêmios são coisas assim que você ganha sem esperar... alguém acha que você merece e você fica se achando merecedora a partir do momento que ganha, e fica com aquela cara de ganhadora de Oscar... Eu?? Oh! .



Por essas bandas de cá existe todo um sistema de premiações que eu desconhecia totalmente. Basicamente você pode ser premiado por tudo que faz na universidade. Várias pessoas decidem doar quantias, propriedades para faculdades e cursos, que se transformam em premiação por bom rendimento acadêmico ou outro critério qualquer. Aparentemente, o fato de ganhar os prêmios não só te dá um incentivo financeiro mas conta muito no seu currículo, principalmente na hora de pedir bolsas de pesquisa e empregos acadêmicos.

No primeiro mês do mestrado a secretária da faculdade me liga pra dizer que eu tinha ganhado um prêmio. Alguém, do nada, tinha decidido fazer uma doação para a faculdade de terapia ocupacional, o dinheiro aplicado, deveria ser dado anualmente para novos alunos do mestrado, com boas notas durante o bacharelado. Eu, hein? E agora eu mereço um prêmio pelas notas que eu tirei lá no Brasil? Mas eu nem pedi...bom, bom, cavalo dado não se olha os dentes, já diria alguém que certamente morava na fazenda. Dalí uns dias chega na minha casa um cheque de $2000,00. UAU! - Como diria Admirack, gostei da coisa. No Brasil o máximo que eu ganhei pelas minhas notas foi um "Parabéns !" - da minha mãe. Aqui, pelas mesmas, estão me pagando.




No fim do primeiro ano do mestrado, eu de barrigão de 6 meses com Premiack dentro, me liga a secretária de novo. Eu deveria comparecer à uma cerimônia dia tal porque ia receber um prêmio. Chego lá, meio sem saber do que se trata, todos os professores da faculdade, alunos, morango com champagne...Uma senhorinha já de idade, ex-terapeuta ocupacional, resolveu que a cada ano iria doar uma quantia em prêmio para o melhor aluno do mestrado. Lá vou eu feliz e garbosa, outro cheque, um certificado, fotos pro site...

Dia desses me liga a nova secretária da faculdade. Eu tinha que comparecer a outra cerimônia dia tal, hora tal. Chego lá, o mesmo povo, almoço de recepção, outra senhorinha que ao fazer 50 anos pediu aos amigos que ao invés de lhe dar presentes, dessem quantias em dinheiro para a faculdade de Fisio e TO. O dinheiro novamente investido, vai para a pesquisadora de doutorado cuja pesquisa tem maior potencial para beneficar ações de reabilitação, aparentemente essa aí era eu. E bom, outro certificado, outro cheque, mais fotos pro site.


A impressão que eu tenho é que no Brasil, por exemplo, é fácil achar mil causas precisando de doações e apoio para questões de vida ou morte, de pobreza extrema, de sofrimento social. Por aqui, na falta da pobreza por definição, as pessoas resolvem doar mais para educação e cultura, um sistema bem mecenas.


Se esses prêmios fazem bem à ciência, fazem ainda mais bem ao ego e ao bolso dos premiados. Cada prêmio desse eu fico pensando..."poxa, eu não tava esperando essa grana, então posso comprar X, Y, Z" (X= bolsas Y= roupas Z= sapatos). E não pensem que eu estou fazendo mal uso do dinheiro dedicado à pesquisa. Estes prêmios nominais são mesmo para a pessoa, e não para a pesquisa. Outros tantos existem destinados à pesquisa especificamente. Se o pesquisador achar que precisa de um novo computador, então que compre, se ele achar que precisa de uma nova bota marrom e uma bolsa, que compre também, o uso é totalmente pessoal. No entanto, nem tudo são flores e cheques. Uma vez que você ganha um prêmio desses, você perde uns 2 ou 3 "amigos". Mas como amigo que se preze não se perde assim, a gente ignora as perdas e se contenta com o sapato novo. É claro que isso também revela a faceta vilã do sistema de prêmios que recompensa performance, rendimento em detrimento do processo e alimenta o espírito de competição, já mais acirrado nas bandas de cá, nada saudável. Mas isso é prosa pra outro dia.


Diz meu irmão que não se escreve em blog essas coisas de auto-crédito, de ficar se "amostrando", em bom baianês. Mas tudo isso passou pela minha cabecinha de vento só porque andei sendo premiada pela Juliana, o prêmio: "Escritores da Liberdade". Aí lembrei que a Thelma, há mileanos tinha me nomeado também. Poxa gente, que coisa chique! Eu??


E boa como sou em manter essas coisas, me esqueci completamente de nomear meus 3 premiados. Esses prêmios virtuais são também uma massagem no ego de escritora frustrada. Não tem cheque, mas tem a vaga sensação de que o monte de bobeiras que você escreve, que te servem tão bem de catarse, também servem de alguma maneira a alguém mais. Valeu Thelma! Valeu Ju! A grande vantagem dos prêmios virtuais sobre os reais é que você não perde pretensos amigos e com sorte, até ganha uns.


Como achei esse nome "Escritores da Liberdade" chique demais, escolhi a dedo, da minha sempre crescente lista de blogs lidos, blogs que conseguem tratar de temas que de alguma forma libertam:


Estou no mundo a PC: Esse site coletivo conta histórias reais de mães e seus filhos e a liberdade que experimentam ao encarar os preconceitos, as dificuldades e as vitórias de cada dia na vida de uma criança com paralisia cerebral.


Blogtalk: A Cristiana além de ser a escritora que eu queria ser é uma mãe do tipo pé no chão e mãos a obra. No blogtalk ela fala de assuntos diversos e sinceros, livres de preconceitos e censura. Se eu não me engano, ela que criou o Estou no Mundo a PC. Ou seja, é premiação dupla. Se tivesse cheque, você agora estava rica!


É por aqui que vai pra lá? : Marquito, o autor, é meu amigo de verdade (digo de verdade, do mundo real e de verdade verdadeira, do mundo afetivo) e pai da minha criança preferida (fora a minha,é claro). Mas além disso, ele é também um escritor nato disfarçado de advogado que liberta ao escrever sobre religião, família, cultura e até futebol.


Como eu sou lesadinha e não sei colocar as imagens na barrinha aí do lado, vão aí as imagens dos meus prêmios (eu sei Dê, ficou meio metida a besta, foi mal...)



Indicado pela Debby, trocentos tempos atrás:


Indicado pela Juliana e Thelma há uns outros trocentos tempos:






Eu e minha mecenas na entrega do prêmio nesse ano na McGill (do outro não tenho as fotos):





E o maior prêmio de todos, que não vem com cheque, mas vem com este sorriso:




8 comentários:

Lilian disse...

Que lindo!!! Parabéns. E vai botando os prêmios no currículo minha filha, que é bonito também :) (e tristes de nós q não fizemos faculdade por aqui e não sabíamos da existência de prêmios e temos um currículo vazio dos mesmos).

Falando em prêmio, eu tenho prêmio blogueiro um pra te dar qualquer dia aí. Aguarde!!

Ah sim... e sobre seus prêmios, vc está passando adiante os DOIS pros três nomeados? Vc tem o direito de nomear três pra cada prêmio, não?

***TATTY* disse...

Então né?! Pessoa chique!!! Parabéns por todos os prêmios, mas essa sorrizinho...ai ai...não tem AMEX que pague!!!

Anônimo disse...

O Zack é fofo demais!! E vc é muito aplicada, ganha praticamente um prêmio por mês... credo! hehehehee

Cristiana Soares disse...

E vc é a TO que eu queria ser! :-)

Que surpresa boa essa! Nem me avisa, hein?

Seu marido conseguiu comprar e levar o "Por que Heloísa?" para vc?

Já torrou todo o dinheiro dos prêmios? Hehehe...

Com certeza, o maior prêmio é o da foto!

Sandra e Evaldo Vicente disse...

Hummm... Esse lance de chequinhos inesperados é tudo de bom. Não conhecia. Parabéns, porque já vi que você merece mesmo. Três prêmios seguidos não é para quem quer, é para quem pode. Uma prova de que maternidade não inviabiliza as coisas. Pelo visto Geniack vai longe iguala a mamãe. Fiquei doida pra saber sobre a perda dos amigos, competição e ciumeira... conta, conta.
:-)

Lilian disse...

Parabéns, gostei de ver :)

mas fiquei curiosa como a Sandra também pra saber dos conflitos e ciumeiras estudantis na pós graduação :)

Isabela disse...

Oi, Keiko!

Parabéns pelos prêmios!!! Vc é super aplicada, heim!

E parabéns pelo seu lindo nenê!

Bjs,

Isabela.

Marco disse...

Uau. Comecei a ler cheio de inveja dos teus muitos prêmios e lá no fim ganhei um eu também! Moi? Yes!Muchas gracias, minha blogueira predileta! O que eu tenho que fazer? Nomear eu também outros três? Algum critério em especial?