9

2 anos e outros números

Há 2 anos eu deixei pra trás: 1 mãe, 2 irmãos, vários amigos, 2 cachorros e 1 vida. Pra chegar aqui com 3 malas e todas as expectativas.

Nestes 2 anos eu:

- Morei em 3 lugares diferentes:
1)1 quarto de home stay por 1 mês e meio,
2)1 apartamento que seria bom se não tivesse que matar 1000 baratas/dia e um cheiro insuportável de comida chinesa 24 h (nada contra comida chinesa mas peixe frito as 6 da manhã é um certo exagero), por 8 meses (dos quais 5 foram vomitando com Enjoack na barriga)
3)1 apartamento que moro agora, adoro e só troco por 1 casa daquelas com cara de casa de filme - mesmo porque na nossa última mudança as 3 malas iniciais tinham virado 3 caminhões.

- Descobri que é possível:
1) Conviver realmente com a diversidade e cruzar em um único quarteirão, em um dia comum com pelo menos 13 pessoas diversas: 1 mulçumana com véu na cabeça, 1 pessoa em cadeira de rodas, 30 chineses, 1 punk, 1 gótico, 1 judeu ortodoxo (de rolinho no cabelo e todo de preto), 1 hippie, 1 idoso em plena forma física, 1 negro, 1 casal de gays, 1 pessoa de nacionalidade não identificável, 1 hispano genérico e eventualmente, um brasileiro (e se dar mal falando qualquer besteira em Portugês achando que ninguém estava entendendo)
2) Falar sem perceber 3 línguas diferentes em uma mesma conversa e ouvir muitas outras ao longo do dia, novamente andando pela calçada (perceba a importância de se andar pela calçada) e perceber que você achava que falava muito bem todas as três, descobrir que na verdade não fala, maravilhar-se com o fato que mesmo assim dá pra se comunicar e concluir que nunca vai falar tão bem quanto seu filho, que nem fala ainda.
3) Sobreviver longe do que um dia você chamou de lar, sem nenhuma goiaba vermelha, mas com pelo menos 12 tipos de maçã e uns 10 de laranja (não que uma coisa tenha a ver com a outra)
4) Passar por uma construção cheia de homens trabalhando e não ser chamada de gostosa ( e nem é por causa da sua baranguice-pós-parto, mas sim porque o povo aqui por alguma razão - seria educação?? - não faz isso...é bom saber pra não perder de vez a auto-estima)
5) Não morrer em um clima ameno de -30 graus, e com sorte, até se divertir
6) Não morrer andando a noite por uma rua deserta com alguns sujeitos estranhos por perto, eles também só estão andando e te achando estranha, mesmo assim não têm medo de morrer
7) Falar quanto tempo quiser no orelhão com uma moeda de $0,25 e não pagar "pulso" no telefone de casa (meu pai adoraria isso na minha adolescência)
8) Viver (ou se virar) sem empregada, diarista, restaurante "de kilo" e babá (sim, é possível, cá estou pra contar a história)

- Conheci as dores e as delícias de um sistema social que praticamente funciona:
1) Tive um 1 filho sem pagar R$5.000,00 pelo parto (sem pagar nenhum centavo, aliás) e ainda assim com atendimento VIP
2) Tive uma certa dificuldade de encontrar 1 médico obstetra e até hoje não encontrei 1 médico de família (não que eu realmente tenha procurado, mas sei que não é fácil)
3) Não tive ainda 1 vaga em creche para eventualmente deixar o filho parido "de grátis"
4) Em compensação, ganho quase $500,00/mês pra sustentar o mesmo, fora a contribuição mensal que o governo coloca na poupancinha da Universidade (meu próximo passo é conseguir uma contribuição para a Poupancinha da Lipoescultura da Mamãe, mas acho que não vai dar pé)
5) Entrei, fui atendida e sai sem deixar 1 centavo no dentista
6) Nunca gastei nem 1 centavo com medicamentos (não porque não os usei, mas porque estes também foram pagos)
7) Não paguei ainda, mas um dia vou pagar impostos bem altos por tudo isso
8) Ganhei uma bolsa de estudo que não é grande coisa aqui, mas é mais do que eu ganharia como TO no Brasil
9) Pago $10/mês pra Peixack fazer natação em um lugar lindo
10) Mesmo com tanto frio, ninguém morre de frio já que querendo, todo mundo tem ao menos onde morar e o que comer (há quem não queira, mas aí é por opção e não por falta de)

- Aprendi:
1) A usar cotidianamente 3 novos meios de transporte: metrô, bicicleta e pernas/pé.
2) Que zero graus não é frio, nem -10, frio pra valer é -30
3) Que tulipas só duram algumas semanas por ano (adoro flor que morre rápido, porque você não tem a responsabilidade de ter que cuidar pra durar muito)
4) A fazer pesquisa de verdade e todas as coisas estimulantes (como descobrir coisas) e probantes (como tudo que tem que ser feito até de fato descobrir as coisas: análise estatística, metodologia científica e blá, blá, blá) implicadas no processo
5) Que meu marido é um pai e dono-de-casa excelente, quase perfeito eu diria
6) A esquiar (ou qualquer coisa parecida com descer uma montanha de neve em cima de 2 objetos deslizantes)

- Já fiz:
1) 1 filho
2) 1 mestrado
3) 1 boneco de neve
4) Alguns novos amigos
5) Já tá bom, não?

Que venham mais 2! (Será?!)

E com vocês, dois dos meus maiores feitos "made in Canada" (obviamente não em ordem de importância, nem de lindeza):





PS- Acho que estou ficando meio prolixa, vou me policiar para escrever menos e não cansar tanto meu respeitável público.

9 comentários:

Deby disse...

Realmente, o Zack é mais bonito...rsrs
Fico muito feliz em ver q tem gente q consegui ir pra aí e sobreviver e viver tão bem. Me estimula mais ainda.
Parabéns e que venham mais anos e mais experiências.
Ah! TO é terapeuta Ocupacional, ou Técnica Operacional ou o que??
bjinho

Claudia disse...

Minha irmã acaba de se casar com um amigo de faculdade, ambos são arquitetos. Planejam se mandar para essas terras geladas em breve...acho que ano que vem!

Anônimo disse...

quanta coisa.....hein dona Keiko...
Lindosack está um fofo......
abraços

Jung

Sandra e Evaldo Vicente disse...

Este seu post me deixou SUPER feliz!
Voce deve imaginar a razao...
Tinha coisa que eu nao sabia.
Vou mostrar para as minhas irmas hoje. Vamos pegar um aviao para ir para o Rio para comemorar o dia das maes com minha mae e minhas 3 irmas.
Agora falta pouco e da um frio na barriga.
Agora eu acho mesmo que vc esta so comecando a vida. Faca MUITOS filhos!!! Feliz dia das maes!

Tereza Possebon disse...

Parabéns pelo dia das mães!!'
E adoramos o post!!
Abraço,

Re e Li disse...

O texto não foi nem um pouco cansativo. Pelo contrário, adorei saber um pouco de quem está do lado de lá...eu ainda estou aqui, mas adoro saber sobre o cotidiano, as coisas boas e as ruins enquanto aguardo!
Bjs

Suzi disse...

Prolixa? Que nada! Leitura agradável e muito bacana! Fico feliz por todas essas conquistas.
Não vou comentar cada tópico porque, AÍ SIM, alguém estaria escrevendo demais! rs*

Mas posso resumir assim: você está, realmente, "carpediando"!!
Continue!
"Carpe diem!"

Luiz, Dani e Annie disse...

Parabéns pelos 2 anos! Que venham mais!!
Zack está lindo na foto!
Bjinho,
Dani.

Lilian disse...

Pra mim, quanto mais prolixo, melhor!! Eu li isso uns dias atrás (e adorei, claro), mas só estou arranjando uns minutinhos pra comentar agora...

Interessantíssimo este teu post. Gostei muito dos pontos sobre a diversidade, as línguas, e o viver sem empregada :) (essa eu não tive depois q casei no Brasil, e parece q nunca terei mesmo).

Seu filhote faz natação lá no estádio olímpico? A gente entrou lá pra ver o pessoal em aula. Muito legal.