8

Vancouver, finalmente

De antemão vou dizendo que se conselho fosse bom eu aconselharia a quem quer que seja que não é uma boa idéia você inventar de ir pra congresso e juntar uns diazinhos de passeio no meio de um semestre corrido. Ainda mais se na semana seguinte você inventar de ir ao Brasil, por um fim de semana para o casamento de uma grande amiga. Fica pior se entre uma viagem e outra seu marido for para o Brasil e te deixar sozinha com um bebê metido a gente grande com crises de infância. Nenhuma das coisas é boa idéia, aliás, todas as coisas são péssimas idéias. Aliás, pior fica mesmo se você tiver um nene de 1 ano e tantos e por um acaso do destino resolver levá-lo para ambos os eventos. Péssima, péssima idéia.

Sobre Vancouver e a costa Oeste em geral (com amplo conhecimento de quem viu 2 cidades, Seattle sendo a segunda) digo que tudo é lindo. Você olha pra um lado e vê mar, olha pro outro e vê montanha. Seria mais lindo se quando você olhasse pra cima não visse uma gota de chuva, ou várias caindo na sua cabeça, mas perfeito, todos sabem, só o Céu. No kit que "ganhei" do congresso vinha caneta, propaganda de remédio, resumos das apresentações e...um guarda-chuva! Mais útil impossível. É claro que no último dia, que eu tive que passar inteirinho no congresso, abriu um sol lindo, céu azul, tudo pra gente curtir no caminho do aeroporto, tremenda injustiça.

Sobre o jantar com o pessoal do Iglu digo que tudo foi muito bom, mas muito abreviado pela presença de não um, mas dois moleques de 1 ano e poucos que digamos, não são muito fãs de eventos do tipo. Pior ainda quando a mãe aqui sendo confusa como é chegou atrasada e o Pacotinho já estava cansado de esperar, também pudera, eu também estaria, pobrezinho. Um encontro mais tranquilo ficou prometido pra quando as crianças forem maiores de idade.

Se eu não tivesse que fazer dois relatórios, preparar um power point pra um congreso, um texto de apresentação para outro congresso, lavar roupa de uma viagem para a outra, lavar a louça que está lá criando vida desde domingo, arrumar a mala (como? com a roupa suja ou molhada!), tudo isso ainda hoje, eu juro que contaria em detalhes e com dicas turísticas as venturas e desventuras da viagem. Mas sendo 21:30 acho melhor deixar pra lá e fazer o que tem que ser feito. Já disse como eu odeio fazer o que tem que ser feito???

Bom, como diria o Pernalonga, por enquanto é só pessoal. Acho que mais notícias só semana que vem, quando a vida voltar ao normal, se é que isso acontece um dia.

8 comentários:

Sandra e Evaldo Vicente disse...

Vc é minha ídala! kkkkk
Quantas aventuras. E o nosso Brasil no meio de tudo e assim tão rapidinho. Vai dar tudo certinho.
Beijos

Bibi Move Scliar disse...

ai Keiko você fica me dando medo assim de um jeito que eu não vou querer que meu filho saia da barriga nem a pau!
Vamos tomar chá no final de semana?
(pra mim tem que ser no final de semana, entre aula, aula aula aula, ainda tem a palestra do Michael Hardt amanhã...socorro!)
Onde você mora?
a gente está aqui próximo ao parque La Fontaine.

Chris disse...

Oi Keiko, leio o seu blog e gosto muito, então coloquei o link do seu blog no meu, como ainda não conheço a etiqueta da blogsfera espero que por vc tudo bem.
Chris

Deby disse...

Boa viagem, Keiko!!
Q pena q o Zack e o Pacotinho não se encontraram...:(
Mas deixa pra próxima.
bjo

Lilian disse...

NOSSA, amiga... que STRESS!!! ESpero que sua viagem pro Brasil esteja sendo boa (acho q vc deve estar la agora, pois li meio atrasado esta post). No comecinho de novembro eu vou pra um fim de semana tambem. Mas sozinha... que bencao indescritivel. Bom, eh isso ai.

Marcia disse...

Keikosan, meu assunto nao tem nada a ver, mas eh que lembrei agora. Ai vai o blog do Silvio. http://jebloguedoncjexiste.blogspot.com/

Fui

Marco disse...

Já antevejo a biografia do Zack. Só a infância vai ter umas 500 páginas. Ele poderá dizer tudo, menos que ela foi pacata.

Marco disse...

Já antevejo a biografia do Zack. Só a infância vai ter umas 500 páginas. Ele poderá dizer tudo, menos que ela foi pacata.