7

Torre de Babel

Eu gostaria muito de aprender pelo menos uma língua dessas estranhas, com caracteres diferentes do tipo árabe ou chinês. Mas enquanto isso não acontece, ando me surpreendendo com a quantidade de linguagens dentro da nossa própria língua.

Meu leitor e amigo Thiago no post anterior me falou alguma coisa que tinha a ver com Feed RSS, sei lá. Está aí uma linguagem que eu não entendo é essa parada de informática. Já acho o cúmulo do avanço tecnológico uma pessoa como eu ter um blog, e conseguir postar, tipo, UAU! Como eu sou avançada! Agora não exagere, essa coisa de mudar de layout, Feed, sei lá mais o que...bom, meu irmãozinho vai dar conta disso pra mim enventualmente, mas eu mesmo, não falo essa língua não.

Sei que cada profissão tem seus jargões. Existe agora uma tendência a desmistificar a linguagem científica por exemplo, pra fazer o conehcimento mais acessível. Mas enquanto isso não acontece, fica uma certa lacuna entre o que algumas pessoas dizem e o que outras entendem, como essa mensagem que minha cunhada recebeu. Ela está processando um inquilino que não paga aluguel há meses. Daí recebeu do tribunal essa mensagem aí:

O arresto via BACENJUD não encontra esteio na legislação vigente. No mais, a citação editalícia se mostra inoportuna, tendo em conta o exequente não ter esgotado os meios acessíveis para localização da ré.

Isto posto, indefiro as medidas pleiteadas, requeira o autor, no prazo de 30 (trinta) dias, o que entender cabível.Brasília - DF, quarta-feira, 04/02/2009 às 17h51.

Não sei o que Camões entederia cabível nesse caso. Pra mim soou algo como: '" Comprei um carro e não achei a marcha ré?" Ou "Alguém citou alguma coisa num edital e o cara não curtiu, logo, deu pra trás". Ficamos algum tempo refletindo na mensagem sem conclusão alguma. Entendemos como cabível então, ignorar a mensagem, ou pedir ajuda dos universitários (mas tem que ser universitário de direito).

E assim, a torre de Babel continua inacabada.

7 comentários:

Thiago disse...

E aí, companheira blogueira, para aumentar ainda mais a lista de coisas indecifráveis da vida cotidiana do dia-a-dia (sem pleonasmo nenhum), eu diria que o ideal mesmo era você colocar um link para o meu blog em cima do meu nome que você tão gentilmente citou neste post. Nada de muito complicado, e já me ajudaria a pescar alguns leitores :)

do piduxo
Thiago

Paula disse...

Sou formada em Direito. Vamos ver se eu consigo ajudá-la, rs. O advogado da sua cunhada pediu que a conta bancária do inquilino fosse bloqueada via Banco Central (Bacen). No entanto, o juiz não aceitou o pedido, por falta de fundamento na legislação em vigor. O bloqueio de contas via Bacen é muito comum em processos trabalhistas, quando o empregador se recusa de tudo quanto é jeito a pagar o empregado. Ainda, o advogado pediu, caso o bloqueio via Bacen fosse negado, que o inquilino fosse citado, ou seja, comunicado do processo, via edital. A citação por edital consiste, simplesmente, em publicar em um jornal que o inquilino está sendo processado, provalmente por despejo por falta de pagamento (a ação mais comum nesses casos). O juiz também negou o pedido de citação por edital, uma vez que o Poder Juciário tentar ao máximo outros meios de localizar o réu, no caso, o inquilino. Para concluir, o juiz concedeu o prazo de 30 dias para o advogado recorrer da decisão interlocutória (uma decisão dentro do processo sem ser sentença), se achar necessário.
Espero que eu tenha conseguido te ajudar. xD

Camila disse...

Traduzindo pro português, quer dizer que o devedor nao pode ser citado por edital, já que a sua cunhada poderia ter feito mais para descobrir o endereco dele. (Até agora o oficial de justica nao conseguiu citá-lo, ou seja, comunicá-lo oficialmente sobre o processo.). Além disso, nao se pode bloquear o valor da dívida na conta bancária do devedor via BACENJUD - sistema do Banco Central que é usado pelo Poder Judiciário).

Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bibi move disse...

que ótimo- vim aqui dar palpite e depois de ler a resposta da paula me senti uma imbecil metida a besta pois ia falar bobagem...
hehehe
beijos
bibi

Deby disse...

Com a parte de informática posso te ajudar, mas com a de direito, nem pensar.
bjinho